Dia #77 – Quem menos você imagina

Não sei se vocês vão lembrar desse post, mas na época que estava com minha sogra doente (pra quem não acompanha aqui, ela teve câncer no ano passado e acabou por falecer em setembro), uma amiga veio conversar comigo e me confessou que estava com câncer de mama, dividiu a experiência dela comigo e me ajudou de uma maneira que nem ela imagina.

Naquela época, qualquer palavra de consolo era uma enorme ajuda. Mas essa em especial eu vou lembrar pra sempre.

E na dia do enterro, na hora de enterrar, naquela hora que meu namorado segurou minha mão com tanta força que chegou à doer, eu lembrei dessa minha amiga. Lembrei do que ela me disse, que eu não precisava falar nada pra ele, que só o fato de estar do lado dele, eu estava ajudando, estava sendo importante. E quando ele segurou minha mão daquele jeito, eu me senti a pessoa mais importante do mundo naquele momento.

Mãos dadas

Alguns meses se passaram e eu fui acompanhando o progresso dessa amiga, a vitória dela, pelo Facebook. Mesmo que ela nunca postasse nada a respeito, eu sabia.

~~ Vale lembrar que nunca fui íntima dela, nos conhecíamos há anos, mas nunca fomos amigas até então. Por esse motivo, meu namorado nunca a tinha encontrado ~~

Mesmo tendo passado por duas cirurgias e pela quimio, ela nunca perdeu a vaidade e nem a alegria de viver. Sempre arrumada, tirando fotos e saindo.

Inclusive, eu tinha estranhado que o cabelo dela não tinha caído, apenas tinha cortado em um chanelzinho linda. Apenas semana passada que descobri que esse chanelzinho era peruca (sério, se ela não me falasse jamais saberia). Agora ela já tá saindo com o cabelo curtinho.

Ela me disse que pegou trauma e que agora só vai andar de cabelão. Mas, na boa? Ela é linda de cabelão, de chanel, de cabelo curtinho e até sem cabelo. Não sei dizer, ela é tão linda de SER que acho que essa beleza exala pra fora.

câncer

Vi essa imagem na página da “Gina Indelicada” e mandei na hora pra ela

Mas e aí que na semana passada combinei com ela que meu namorado (noivo, nunca me acostumo) iria encontrar com ela para entregar uma coisa que ela comprou comigo.

Expliquei pra ele que ela era a pessoa que tinha falado palavras tão lindas na época que a mãe dele tava doente.

No dia marcado, eles se encontraram e ela abraçou ele e falou: “O pior já passou.” E acabou chorando.

Ela talvez tenha dito isso dela. Ela talvez tenha dito isso da gente. Mas acho que foi mais pelos dois. O pior para nós 3 já passou. Agora é só vitória.

Óbvio que ao saber disso, chorei horrores. Mas não sei dizer exatamente o motivo disso ter me emocionado.

Talvez por eu ter lembrado de tudo horrível que passamos no ano passado.

Talvez por eu ter tido a real idéia do tamanho do sofrimento dela nessa mesma época.

Talvez por eu ter percebido que, apesar de tudo isso, todos nós vencemos.

E aquilo? Aquilo é passado! Aquilo levo comigo apenas como aprendizado, como fonte do nosso amadurecimento.

Mês que vem é dia das mães e mês que minha sogra faria aniversário. Sei que não vai ser nada fácil. Mas temos um ao outro. E isso já consola.

Mas o mais bizarro dessa história toda é que às vezes, a última pessoa que você imaginaria que seria sua amiga num momento difícil, é um dos personagens mais importantes nessa etapa.

Beijos

Para falar comigo sobre qualquer assunto, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Mais Maravilhosa Impossível

O que me detonou: Nadinha

O que fiz de bom por mim: Ando me cuidando. Tudo que não me agrada, estou tentando contornar

Anúncios

abril 16, 2013. Tags: , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #72 – O poder de cura que nem o tempo tem

No dia em que minha sogra faleceu, no velório, uma amiga nossa estava conversando com meu namorado.

Essa nossa amiga também perdeu a mãe, acho que há 2 anos, e estava tentando compartilhar um pouquinho do que ela passou.

Lembro que na época ela disse que, com o passar do tempo é fica mais díficil. Que de vez em quando ela tinha umas recaídas brabas e que chorava que nem criança.

Tenho que confessar que achei que fosse porque ela era muito sensível ou que estava exagerando. Afinal, nada como tempo para curar todas as feridas, não?

Tempo não cura

E aí que cheguei até comentar aqui a força que meu namorado estava tendo. Que havia chorado apenas uma vez e mais nada.

O tempo foi passando e no domingo antes do natal o namorado tava de cara fechada. Eu toda empolgada com o Natal, com a sobremesa que nós iríamos fazer para a ceia e ele de poucas palavras.

Acabamos brigando e no meio da discussão ele disse que não queria fazer nada, que não tava com vontade de fazer nada no natal porque quem fazia tudo antes era a mãe dele. Na raiva eu acabei perguntando se ele achava que ela ia gostar de vê-lo agindo desse jeito ou se iria gostar de vê-lo feliz.

No mesmo momento ele arregalou o olho pra mim, virou as costas e foi embora chorando. Fui atrás dele e quando me vi estava chorando também.

Ele desabafou, disse que tava sendo muito difícil pra ele essa época do ano. Porque a mãe dele adorava o Natal, preparava a ceia toda e agora ela não tá mais aqui.

Ele chorou muito esse dia. Coisa que ele nunca tinha feito desde que minha sogra faleceu. Conversamos bastante, pedi ajuda à amiga querida do início desse post, que foi também lá na casa dele conversar um pouco com ele e tudo ficou bem, ele passou o natal e ano novo super bem.

O tempo passou mais um poquinho e no domingo agora foi dia de Reis, dia de tirar toda a decoração de natal. 😦 Por mim, eu deixaria o ano todo, mas não por preguiça, porque eu amo decoração natalina. Mas nós 2 tiramos tudinho, guardamos tudinho e passamos o dia super bem.

Quando tava quase dando meia noite, eu tava deitada na cama mexendo no cel e notei que ele tava no computador e tinha fechado a cara. Pensei: “Pronto! O que eu fiz?”. Quando eu levantei pra fazer alguma coisa, ele se jogou na cama pra dormir sem falar nada.

Eu: O que houve?

Ele: Nada

Eu: Fala

Ele: Nada

Pensei um pouco.

Eu: É saudade?

Ele: É

E começou a chorar muito, muito, muito. Perguntei se ele queria chorar no meu colo e quando ele disse que sim, chorei mais que ele.

Como já havia aprendido, não disse nada, só mostrei pra ele que tava ali e que iria ficar do lado dele pra sempre.

Quando ele se acalmou, olhei no celular: 07/01/13 – 2 meses de falecimento da minha sogra.

Ele jurou que não tinha se tocado da data e que não era por isso que bateu saudade, disso que estava lembrando dela esse domingo o dia todo.

Eu cheguei à conclusão de que essa minha amiga tava certa, com o tempo só piora. Acho que a saudade só vai aumentando e aumentando.

Ué, mas me pergunto novamente, o tempo não cura tudo? Não! O tempo não cura tudo! Aliás, o tempo não cura nada, o tempo apenas tira o incurável do centro das atenções. Já dizia Martha Medeiros.

Aprendemos à viver sem aquela pessoa, mas o buraco que ela deixou? Acho que sempre vai ficar ali.

Ainda te amo

Beijos 😉

Para falar comigo sobre qualquer assunto, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Média, acho que estou me descuidando

O que me detonou: Eu acho que me detonei

O que fiz de bom por mim: Hoje nada 😦 Mas começarei hoje à noite mesmo

janeiro 9, 2013. Tags: , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #65 – Quando a vida exige que você seja forte

Meu sumiço aqui foi proposital, estava tomando coragem de escrever tudo que preciso aqui.

Como alguns devem saber, na quarta-feira passada, dia 7/11/12, veio a temida ligação. Minha sogra acabou por não resistindo ao câncer e faleceu.

O enterro fluiu bem, o namorado tem me impressionado muito com essa força toda. Mas tem hora que não dá e no momento que foram fechar o caixão ele chorou, chorou muito, chorou feito criança e quanto mais ele chorava, mais apertava a minha mão. Apertou tão forte minha mão que chegou a doer, confesso. Confesso também que naquele momento me senti a pessoa mais importante do mundo, não trocamos uma palavra, mas ele pôde sentir que eu estava ali e iria estar sempre com ele, nos piores e melhores momentos.

Apesar das pessoas agora me cobrarem isso, não quero e não vou preencher nenhum espaço, esse lugar é dela e vai ser eternamente. Quero preencher outro espaço, quero que ele não se sinta sozinho e vazio.

Essa foto o namorado tirou da sogra uns 15 dias antes de descobrirmos a doença. Foto linda!

Quando chegamos do enterro, me senti muito cansada. Nunca me senti tão cansada na vida, mas não era só fisicamente, sabe?!

No dia seguinte fomos resolver lances de documentações e enquanto ele estava procurando os documentos, encontrou algumas fotos e um cartão lindo de 1984 que a mãe dele mandou pro pai (arrepio só de lembrar as palavras lindas que estavam escritas. E o namorado me surpreendeu mais ainda ao ver tudo isso e lembrar com alegria de tudo. Acho que esse é o correto, mas jamais conseguiria ver essas recordações sem ficar abalada emocionalmente.

O pai dele é a nossa maior preocupação agora. Vira e mexe, ele fica com o álbum de casamento, já chegou até a falar que foi tudo culpa dele que nunca foi bom marido e bom pai, o que é completamente mentira. Minha sogra era completamente apaixonada pelo marido e sempre falava bem dele, meu namorado idem.

Bom, eu estava só aguardando a missa de 7º dia para escrever aqui. Pra mim, não deveria existir a missa de 7º dia. Sei que entramos em assuntos religiosos, mas essa missa só estende o sofrimento. Enfim, ao sair da missa me senti como fechando um ciclo.

Cheguei na casa do namorado com um cansaço esquisito e praticamente desmaiei. Acordei era meia noite, eu acho, e comentei com o namorado que sonhei com a mãe dele e que ela tava bem (estava gordinha, saudável, como antes), só que eu não conseguia lembrar o que ela tinha me dito no sonho.

Peguei o celular e tinha chamada da minha família toda. Sabia que tinha acontecido alguma coisa. E, infelizmente, tinha: Meu tio faleceu!

Meu tio era casado com a minha tia (irmã da minha mãe) antes mesmo de eu nascer. Fui criada com meu primo e ele é meu irmão (na verdade, meus 3 primos – 2 são filhos de outra tia, que é minha madrinha também – são meus irmãos).

Ele era Engenheiro de uma grande empresa e sempre ganhou muito bem. Mas nos últimos anos a vida dele deu uma desandada. Teve que se aposentar e se viu sem atividade (para quem trabalha a vida toda, ficar sem fazer nada é muito difícil, deprime mesmo), o pai dele morreu, a mãe foi morar em outro estado, o filho (filho único) casou e também foi morar em outro estado.

E desde o início do ano ele vem perdendo a memória, mais para a metade do ano foi ficando um pouco debilitado (falava devagar, andava devagar). Aí que em umas 3 semanas, do nada, parou de andar e falar. Foi internado no CTI, que por uma coincidência infeliz, era o mesmo hospital da minha sogra, na mesma semana que ela também foi internada neste CTI. Disseram que era uma doença degenerativa no cérebro e não tinha jeito. Ele não reconhecia mais ninguém, se alimentava por sonda e estava sedado.

Mas eu simplesmente não aguento mais ver as pessoas que eu gosto chorarem, não aguento mais ver essas pessoas tristes. As pessoas que mais amo na vida. Quando eu tava quase bem pela minha sogra, por ver meu namorado triste, vem mais essa? Sem nenhum espaço de tempo. Tô tentando descobrir porque isso está acontecendo comigo, com certeza tem um motivo, mas to cansada, poxa!

Tô tentando me preparar para o enterro amanhã. Não sei como vai ser vendo minhas tias, minha mãe, meu primo. Todos tristes. Não sei como vai ser a reação da minha vó, ela tá tão fraquinha.

Ando tirando força do dedinho do pé, isso é uma verdade.

É verdade também últimas semanas eu só pedia a Deus que levasse minha sogra e meu tio logo. Todos temos plena consciência, que foi o melhor para os 2. Estavam sofrendo muito, fazendo todos aqui sofrerem com isso e agora, tenho certeza, que estão bem. Podem, enfim descansar.

A gente chora aqui, porque tem a saudade, né? Mas no céu tá tendo festa! Que os dois descansem em paz e vamos todos sentir muitas saudades pra sempre.

Para falar comigo sobre qualquer assunto, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Lá embaixo
 
O que me detonou: Perdendo pessoas queridas, vendo o sofrimento das pessoas que mais amo

O que fiz de bom por mim: Me tornando uma rocha

novembro 15, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #63 – Dias ruins todo mundo tem

Ontem realmente meu dia estava péssimo. Pensamentos horríveis não saíam da minha cabeça e eu simplesmente não conseguia parar de chorar.

E ontem eu tive mais do que certeza que a melhor coisa que eu fiz da minha vida foi começar esse blog, que o objetivo inicial era mesmo para controlar minha autoestima e nunca mais deixá-la tão para baixo como estava no início do ano.

Desde então pessoas têm me encorajado em diversos assuntos da minha vida, principalmente no projeto de me amar, mas ontem foi realmente incrível.

Logo que publiquei o post de ontem uma amiga muito distante veio me chamar no Facebook. Primeiramente, fiquei super surpresa dele ter lido o blog, mas jamais esperaria o que estava por vir.

Ela me contou que teve câncer de mama no meio do ano (só tem 25 anos) e que pouquíssimas pessoas sabiam disso, apenas as mais íntimas.

Disse que o namorado dela tem sido muito importante para ela, que às vezes ele a abraça e não dizem nada. Mas só dele estar ali, a alivia.

Me falou que eu devo estar ajudando muito o meu namorado só pelo simples fato de eu estar do lado dele. Que isso tem um preço inestimável e eu não precisava procurar um método de ser uma boa namorada (que era o que eu estava fazendo), porque eu já estou sendo.

Contou também que está fazendo quimioterapia e no ano que vem começa a radioterapia. Do jeito que ela me contou, fiquei impressionada de como ela está levando isso na boa, como está sendo forte.

Fiquei imensamente feliz pelas palavras e, principalmente, por ter confiado em mim para contar essa história de vida dela, já que nunca fomos tão íntimas.

Só desejo o melhor para essa amiga, que continue forte na luta. E que saiba que já a admiro muito por tudo isso.

Depois disso, cheguei em casa cheia de dor de cabeça de tanto chorar e fui logo dormir.

Algo me fez acordar por volta de umas 23:30 e ver meu e-mail, eis que ganhei mais um presente:

Por acaso cheguei no seu blog, procurando outras coisas (365 dias me amando pra que minha auto estima saísse do pé..) e fui clicando nos links..

(…)mas meio que me senti na obrigação de escrever, acredito muito que certas coisas não acontecem por acaso (principalmente qdo a gente não estava procurando o que achou).. Acontece que por acaso ou não, já passei por isso. Com a minha mãe e com uma tia. Te falar que não é fácil e falar tudo aquilo que voce já deve tá careca de saber, é trocar 6 por meia duzia…..  

‘E aí eu fico pensando se eu não me enganei e se realmente não é melhor irmos nos preparando pro pior.’ 

Não, não é melhor voce ir se preparando pro pior. O pior só atrai o pior! Não se prepara, deixa que o que há de ser, tem força! Sendo melhor ou pior, independe do seu querer.

Fé, voce tem? Sempre fui católica não praticante, mas depois que minha mãe adoeceu (isso tem 12 anos) minha fé aumentou absurdamente! Não por ela ter conseguido sair dessa, mas é que eu entendi que a fé me daria força em qualquer situação. Mesmo eu estando na merda, tudo uma merda. Como se fosse um combustível, sabe?  (…)

Depois teve o caso da minha tia, que foi bem complexo(…) E aí que vou te falar que a minha fé aumentou mais ainda, consegui ficar de pé, rezei tudo que pude, fiz o que estava ao meu alcance e depois que tudo passou, percebi toda fortaleza que minha fé me trouxe.

Eu sei que já falei fé, fé, fé, fé.. milhõõõões de vezes! Mas o que realmente me ajudou a ficar de pé e não pensar no pior, só pensar no hoje. (…) Não perde a esperança, o otimismo.. Às vezes dá uma balançada, mas pára pra pensar que voce não tá nessa situação a toa, tá por algum motivo! E se voce tá é porque pode suportar, então vai que vai. Se tiver que chorar, gritar, descabelar.. Faz tudo!! TUDO! Depois pega sua espada da She Ra (não sei se é da sua época) e continua a luta!  

Tem uma música que um amigo me indicou e ouvia direto qdo minha tia foi internada, é do Padre Marcelo Rossi mas depois descobri na voz do Thiaguinho. (…) Escuto sempre que preciso dar aquele UP!  

 

(…)FORÇA!!!”

Essa mensagem me ajudou muito, me ajudou a voltar a ter esperança e fé.

Não quero e não vou esperar pelo pior. Tenho só que agradecer por minha sogra estar conosco, por estar resistindo lindamente. Mandei até uma mensagem pro namorado dizendo que não temos que pensar no que vai acontecer, mas que vamos curtir cada minuto com ela, fazendo o que tiver ao nosso alcance para dar certo. Se vai ou não, só Deus vai saber.

Nada como um dia após o outro, com uma noite no meio, não é mesmo?

Pensamentos bons, atraem coisas boas. Hoje o namorado disse que a sogra tá ótima. Ontem ela internou no CTI aonde poderiam acompanhar ela de perto e seria melhor. Hoje os pés desincharam, as bochechas estão mais gordinhas e ela bem animada. Namorado até me mandou uma foto dela que me fez ganhar o dia.

Vamos sempre ter altos e baixos, mas nunca devemos nos dar por vencido. Porque a batalha ainda não acabou.

Beijos 😉

Para falar comigo sobre qualquer assunto, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Altíssima

O que me detonou: Trabalho

O que fiz de bom por mim: Recuperei a fé e a esperança

outubro 30, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. 3 comentários.

Dia #62 – Até as piores coisas podem ter um lado bom

Então, minha sogra hoje voltou pro hospital. Ela estava com uma febrinha chata tem uns dias, ligamos hoje pro médico dela que pediu pra internar de novo porque o estado dela é grave.

Como sempre, hospital não pega celular e não sei o status.

Não queria que por algum motivo meu namorado lesse isso aqui, mas realmente preciso desabafar. Infelizmente não dá pra ser otimista o tempo todo.

Eu quero ser, preciso ser, mas realmente hoje não estou com bons pensamentos.

E aí eu fico pensando se eu não me enganei e se realmente não é melhor irmos nos preparando pro pior.

E estou pedindo à Deus, desde de manhã, forças. Forças para conseguir passar por tudo o que vem por aí.

Ontem mesmo eu tava conversando com o namorado que nada na vida acontece por acaso.

Ele, por exemplo, ia para Nova York comigo agora em dezembro (lembra que eu já falei aqui que vou viajar?). Quando estávamos vendo passagem, a sogra começou a implicar e ele acabou desanimando. Na época ficou bem puto com ela, falou bastante, reclamou bastante.

Imagina se ele tivesse comprado essa passagem? Como seria agora para ajudar a sogra?

Quando acontece alguma coisa em nossa vida, não temos que nos perguntar “por que isso está acontecendo”, temos que nos perguntar “pra que está acontecendo”. Tudo tem um motivo, um ensinamento, um propósito. Mas temos que ser muito persistentes para descobrir esse motivo, ensinamento ou propósito.

Sempre que estou passando por uma situação ruim, tento ver pelo lado positivo. Sei que é difícil, mas fico pensando o que estou aprendendo com essa situação. Se uma porta foi fechada para mim, eu fico tentando encontrar qual a porta que vai ser aberta.

Acredito também que para coisas novas entrarem em nossas vidas, algumas coisas têm que sair, para dar espaço pra essa novidade, essa renovação.

E aí que não consigo parar de pensar o que estamos aprendendo com essa situação, o que de bom está esperando pela gente.

Enquanto estava escrevendo esse post, pensei que aprendi que uma relação pode ser muito mais do que beijo e saídas. Podemos ser amigos, parceiros além de tudo.

Pensei também que tenho conhecido pessoas boas de verdade, tenho ficado mais íntima de algumas pessoas maravilhosas e descoberto amizade aonde jamais imaginei antes.

Preciso pensar nas coisas boas que isso tem me proporcionado. Isso me consola e me dá forças para encarar de boa.

Só tenho medo de ver o namorado triste. Ele é muito fechado e eu nunca consigo saber se está tudo realmente bem. Mas perceber que não está, acaba comigo.

Confesso que já procurei na internet dicas de como uma namorada deve se portar nesse momento, mas aparentemente não existe um manual.

Beijos 😉

Para falar comigo sobre qualquer coisa, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Alta
 
O que me detonou: Não to conseguindo ser otimista
 
O que fiz de bom por mim: Tentando ver o lado bom das coisas

outubro 29, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #61 – Paciência, otimismo e força

Ai, perdão por não ter passado aqui ontem, mas a amigdalite me pegou de jeito. Mas tô bem melhor hoje! 🙂

Então, como eu tinha falado, minha sogra foi num oncologista que nãoo aceita plano. Como ele trabalha também em um hospital público aqui do Rio, o Salgado Filho, disse pra ela ir lá ontem que ele ia fazer uns exames nela de graça, a ultra (eu tinha dito que era ressonância, mas é que o namorado tinha me contado errado) e o hemograma.

Ontem de tarde ela foi lá e teve que ficar esperando o resultado dos 2 exames, o que demora um pouco.

Quando saiu o resultado do exame de sangue, mostrou que ela ta anêmica. O médico falou que ia repor sangue e plasma nela, mas que faria ali mesmo porque parece que pra fazer num particular, primeiro ela ia ter que conseguir 3 doadores, o que leva mais um pouquinho de tempo.

Como ela tinha que receber 2 bolsas de plasma e 2 de sangue, demora muito.

O celular não pega lá dentro do hospital, eles saíram de casa de tarde, até de noite muita gente estava sem notícia e começou a ficar preocupada com razão. O namorado tinha me mandado umas mensagens (porque fico pressionando ele, senão esquece da vida completamente) e tranquilizei quem veio falar comigo.

Depois que ela recebeu isso tudo, teve que receber soro. Desculpe minha ignorância, mas acho que é porque 2 sangues é muita coisa, e também porque ficou o dia todo sem comer, lá no hospital.

Eram 6h da manhã quando o namorado mandou outra mensagem falando que ela já tinha acabado tudo, mas tinha que esperar o médico do plantão passar lá pra liberar, mas que ela tava ótima, se sentindo super bem, doida pra ir embora e disse que dava até pra dançar um funk. rsrs

E aí que tava todo mundo preocupado, desesperado, aflito. A única que não se abalou em nada, foi a sogra. Que não perdeu a animação. E nesse momento, por mais que estejamos receosos, com medo e tudo mais, temos que demonstrar muita tranquilidade e otimismo à ela. Esse é o mais importante para quem a rodeia.

Bom, todos sabem como é hospital público, né? Deu umas 10h, mais ou menos e nada do médico passar lá. Namorado foi pra casa tomar banho e, finalmente, colocar o cel (que tinha descarregado) para carregar.

Pois então, são exatamente 17:30 e o médico ainda não passou lá. É incrível o descaso que existe em hospital público. Não consigo entender como pessoas tão desumanas podem trabalhar com a profissão mais importante do mundo que é cuidar de pessoas.

Namorado tá há mais de 30 horas no ar e to com medo dele pifar uma hora dessas. 😦 Não estou conseguindo falar com ele, então provável que ele esteja lá dentro com ela.

Só me resta então aguardar notícias e ficar aqui torcendo para que tenham a boa vontade de irem até lá para liberarem a sogra pra ir pra casa.

obs: São 17:57 e namorado acabou de mandar mensagem falando que a sogra fez outro exame de sangue e que estão esperando a médica passar lá para ver o resultado do exame e liberá-la. Parece que na hora que a enfermeira foi buscar o resultado do exame, a médica foi chamada para uma cirurgia, aí já viu, né?!

Tenham todos um ótimo final de semana. Beijos

Para falar comigo sobre qualquer coisa, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Alta
O que me detonou:
O que fiz de bom por mim: Aproveitei que fui tirada da cama cedo, e cuidei muito de mim antes de vir trabalhar. Só saí de casa quando me achei linda

outubro 26, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #60 – Descobrir pessoas boas no mundo é como se fosse descobrir um Tesouro

Nossa, estou recebendo muitas mensagens oferecendo ajuda para a minha sogra e eu agradeço imensamente. Toda ajudinha nesse momento é uma imensa ajuda.

Ontem fui na casa do namorado e quando a gente tava entrando na vila (não sei se já contei que ele mora numa vilinha linda, grandinha, parece uma cidade cenográfica), uma família parou a gente para perguntar como ela estava.

Depois que meu namorado contou como tinha sido a consulta ontem com o Oncologista, a moça disse que estavam todos torcendo muito por ela. Que esse problema não é só deles, é de todos da vila e que eles andaram se reunindo lá (imaginei como uma reunião de condomínio do bem) para conversar sobre o assunto e discutir como poderiam ajudar minha sogra.

Esse Oncologista não aceitava o plano dela, a consulta era uns R$200.00 e pouco. E como tinha sido uma vizinha lá da vila que tinha arranjado essa consulta pra ela, eles sabiam o valor. Nessa reunião fizeram uma vaquinha e deixaram o dinheiro para ela (na segunda-feira à noite) pagar a consulta. Não é o máximo isso?

Mais legal ainda foi que o médico não cobrou a consulta, disse que não precisava. É muito legal ver que ainda existem pessoas legais no mundo.

O namorado foi devolver o dinheiro e eles disseram que não precisava. Então usaremos em futuros gastos para o tratamento.

Voltando a conversa com a família da Vila, eles disseram mais umas lindas palavras que agora não me recordo completamente, mas resumindo, ofereceram ajuda para o que precisar, mandaram ter força e que vamos todos (isso inclui, sogra, eu, namorado, pessoal da vila) passar por isso com glória.

Amigo é aquela família que você escolhe. Amigo de verdade não vai te impedir de passar por maus momentos, mas vai te mostrar que pode passar por eles e vai até te ajudar com isso.

Chamo de amigo aquele que sabe ser um e pode ser da sua família de sangue ou não. Saber ser amigo é uma preciosidade que nem todo mundo tem, infelizmente. É saber se doar, saber dividir, saber rir e chorar junto e, principalmente, saber se mostrar presente quando necessário.

Se você tem, pelo menos um amigo, garre-o com força, pois pode ser considerar uma pessoa rica por ter um tesouro em suas mãoes. E o meu muito obrigada a todos os amigos que têm estado tão presentes.

Por falar em amigos presentes, ontem recebi um e-mail de uma amiga que complementa um pouco o que eu falei aqui ontem sobre o processo para começar tratamento no INCA.

Lá no Instituto eles pedem para que os pacientes levem todos os exames, já com o laudo médico, diagnosticando a doença, porque eles não fazem a investigação da doença, só o tratamento. Então o paciente passa por um processo de avaliação do caso e de acordo com a parte do corpo que está o tumor. Cada unidade é responsável por uma parte do corpo.

Para falar comigo sobre qualquer coisa, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Absolutamente nada

O que fiz de bom por mim: Descobri amigos de verdade

outubro 24, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #59 – Tempo é o bem mais precioso

Bom, hoje a sogra foi no Oncologista, mas juro que tô meio perdida.

Ele passou o encaminhamento pro INCA (Instituto Nacional de Câncer), mas disse que não pode garantir a inscrição dela lá. É tão difícil assim conseguir tratamento por lá? Alguém sabe me informar melhor sobre isso? Juro que tô meio perdida!

Pelo que li no site deles, para ser paciente do Instituo precisa ser diagnosticado com a doença e ser encaminhado pelo médico, depois a pessoa passa por uma triagem aonde realiza um cadastro. O médico especialista avalia o caso e tendo a possibilidade, matriculam no Instituto e abrem um prontuário.

Mas  não entendi direito. É essa matrícula que é difícil de se conseguir? Por que? Como fazemos para conseguir? Alguém tem alguma informação pra compartilhar comigo?

Voltando ao caso de minha sogra, o Oncologista pediu que ela fosse quinta-feira num Hospital Público daqui do Rio, porque ele vai estar lá nesse dia e vai fazer uma Ressonância e um Hemograma para ver como está o caso dela, porque tem mais de 1 mês que ela fez o outro.

Confesso que estou angustiada com isso. Queria que a sogra começasse logo o tratamento. Parece que estamos perdendo tempo. E, ao me entender (de completamente leiga no assunto), o tempo é muito precioso nessa hora.

Ok! Nada de perder a energia boa! Ela precisa que estejamos em ótimo humor e é isso que iremos fazer. Vamos com bastante otimismo de que vai dar tudo certo. Porque enquanto tivermos possibilidade, tentaremos com todas as forças.

Ainda não encontrei a sogra e nem o namorado para saber ao certo como eles estão, o resumo da história o namorado mandou por Whatsapp logo que saíram do médico. Então quando souber mais coisa, falo aqui pra vocês.

Agora, querem saber um absurdo que nada tem a ver com esse assunto? Ontem recebi em casa uma multa de trânsito por estar sem cinto de segurança.

Não, o absurdo não é a multa.

O absurdo é porque eu NUNCA ando sem cinto. Eu NUNCA saio com o carro sem antes colocar o cinto. Morro de medo de andar sem. Muitas pessoas conhecidas já sofreram acidentes gravíssimos e foram salvos pelo cinto e algumas infelizmente estavam sem e não tiveram a mesma sorte. 😦

O mais absurdo ainda é que esta via é de velocidade 70km/h, meu cabelo é comprido. Como algum guarda pode ver que eu estou sem cinto nessas circunstâncias?

Não sei direito como recorrer, mas vi aqui nesse site um passo a passo para fazê-lo. Vamos ver se consigo.

Mas que é revoltante, é. A vontade é parar na frente desse guardinha que tem lá e perguntar: “EU NÃO TO DE CINTO? MEU CABELO FICA NA FRENTE DO CINTO. COMO VOCÊ PODE ANALISAR SE EU TÔ DE CINTO OU NÃO?” Se eu desacatar guardinha municipal, eu vou presa? rs

Beijinhos 😉

Para falar comigo sobre qualquer assunto, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Esse absurdo em forma de multa

O que fiz de bom por mim: Não perdendo as energias

outubro 23, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. 2 comentários.

Dia #58 – O primeiro dia do resto de nossas vidas

E aí, como estão? Como foram de final de semana? Conseguiram descansar? Já estão com saudades da Carminha? Eu tô! Estou em luto pelo final da novela.

Bom,  tenho novidades sobre minha sogra. Amanhã ela vai em consulta com o Oncologista que vai encaminhá-la para tratamento no INCA.

Estamos todos bem animados porque o INCA é maravilhoso. Conheço muitas pessoas que falam bem e meu avô mesmo se tratou lá quando teve câncer na garganta, se não me engano (eu era bem pequena).

Para quem nunca ouviu falar, clica aqui para conhecer melhor o Instituto Nacional do Câncer. Li nesse site que para câncer no Pâncreas, o caso dela, o tratamento é a cirurgia, na fase inicial, para retirada do tumor. Como minha sogra está em estado avançado, tem a opção de radioterapia e quimioterapia para diminuir o tamanho do tumor e aliviar os sintomas.

Vamos aguardar a decisão do médico e dar muita força pra sogra passar por isso tudo logo.

Mas mudando de assunto e falando de coisas boas, esse final de semana foi o final de semana dos filmes. Amo demais filmes, livros. E amo mais ainda quando vocês me sugerem filmes e leituras. Podem continuam fazendo.

Os que vi nesse sábado e domingo e super indico para vocês são:

O Exótico Hotel Marigold (indicação de uma amiga querida que deixou aqui nos comentários do blog) – É meio drama, meio comédia. Te prende do começo ao fim, porque se encanta com a história de cada personagem e fica doido para saber o final de cada uma.

Adoro filmes que ensinam coisas para gente. Esse, além de dar  lições de vida, ensina um pouco sobre a cultura da Índia.

Com um elenco de peso, a história é de um grupo de aposentados, que não se conhecem e decidem viajar para a Índia. Todos têm que se adaptar a uma cultura completamente diferente da sua, vivem experiências diferentes e as compartilham entre si,  o que muda completamente a vida deles. Toda viagem traz consigo experiências maravilhosas, não é mesmo? Por isso eu amo viajar.

Mostra principalmente que a vida pode começar de novo quando você deixa de viver no passado. Inclusive, tem uma citação muito boa no filme que no momento não me recordo completamente, mas é algo  como que passado nenhum pode ser mudado, mas o presente é vivido e construído a cada instante, é o que temos de real e concreto. E é o que devemos valorizar, para buscarmos a melhor maneira de sermos felizes e realizados.

Se Beber não Case! Parte II – É comédia. Quem viu o 1, com certeza adorou. Eu, particularmente, preferi o 1, mas esse é bem legal também.

E todo mundo já viveu uma festa que no dia seguinte foi lembrando as coisas por etapa, as pessoas vão te lembrando. Mas não sei se é uma boa idéia lembrar dessas coisas. Definitivamente eu sou mais feliz sem saber o que aconteceu na noite anterior. Afinal, nenhuma boa história começa com um “Naquele dia bebendo suco…”.

– Atividade Paranormal 4 – Terror e Suspense. Sou fã da série, vi todos (menos um que acho que foi no Japão, não sei direito, não foi muito divulgado) e estava super ansiosa com essa estréia desde o início do ano. Não é tão legal nem dá tanto medo quanto os outros e no trailer aparecem umas partes que foram cortadas no filme, essas partes do trailer pareciam dar bastante medo e isso me deixou um pouco decepcionada.

Mas não deixa de ser um bom filme. Gostei mesmo, mesmo que o meu preferido tenha sido o 3. Terror com criancinha é sempre tenso.

Eu sou fã de Terror/Suspense que são meio reais, para você que também é fã, achei aqui uma lista dos 10 suspenses que imitam a realidade. Amei essa lista. Vi quase todos.

Bom, para falar comigo sobre qualquer coisa, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Sono

O que fiz de bom por mim: Notícia que a sogra vai ser encaminhada para o Inca

outubro 22, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. 2 comentários.

Próxima Página »