Dia #93 – Extremos

Só consegui aparecer aqui agora porque esses meus dias  foram corridos e conturbados.

Sexta à noite tinha convencido o príncipe a ir na academia comigo (temos um crédito na academia aqui do lado de casa). Nos arrumamos, mas passamos antes no mercado pra comprar algumas coisas pra lanchar e não ir de barriga cheia.

Quando pisamos no mercado, o celular dele toca e eu já sabia:

– É a sua vó, né?

– É.

A vó dele havia falecido.

Tanto eu, como ele (principalmente ele), levamos de boa. Já estávamos esperando por isso.

Ele resolveu os detalhes do enterro, fomos ao hospital encontrar a madrinha dele e o primo.

No dia seguinte foi o enterro e ele se manteve bem forte, me surpreendeu completamente. Eu não sei se conseguiria estando no lugar dele.

À noite foi o casamento da minha amiga de infância. Ficamos amigas quando tínhamos por volta de 4/5 anos. E foi amor à primeira vista. Nos conhecemos plantando uma árvore na nossa rua e hoje em dia essa árvore tá giga. Posso dizer que a nossa amizade foi eternizada no primeiro dia que nos vimos.

Os nossos pais foram amigos de infância, nossas tias amigas de infância, nossos irmãos que nunca se bateram rsrs, mas se conhecem desde a barriga.

O príncipe não estava muito animado pra ir. Mas eu, minha mãe e o pai dele o convencemos de ir. Para distrair um pouco a cabeça, não ficar em casa triste e pensando em besteira.

Esse dia foi o dia mais esquisito da minha vida.

O dia que chorei de tristeza e chorei de alegria. O dia que começou fechando um ciclo e terminou começando outro ciclo.

Se bem que, sempre que um ciclo se fecha, outro sempre se inicia.

Minha amiga estava maravilhosa. Eu cheguei um pouco atrasada, por conta da correria do meu dia, e quando cheguei ela já estava dentro do carro. Fiquei esperando do lado de fora da igreja para ser uma das primeiras a vê-la. Enquanto eu esperava ela sair do carro, eu me tremia toda de nervoso. E quando ela saiu…nossa senhora. Maravilhosa.

noiva-saindo-do-carro

Eu chorei junto com ela quando ela estava entrando na igreja. Chorei junto com ela quando ela disse as palavras de juramento do casamento.

Impossível não passar um filme na cabeça num dia desses. De todos os momentos importantes e sem importância que já passamos juntos durante uma vida inteira.

Quero que ela seja eternamente a pessoa mais feliz do mundo, assim como foi a noiva mais linda do mundo.

Minha irmã de alma, de coração, de tudo mais.

amiga-irma

Ah, me comportei até muito bem no casamento. Tomei metade de um refrigerante, porque quando cheguei tava doida de sede. Mas depois, à noite inteira, foi água. Não comi bolo, nem docinhos. E pra falar que não jaquei, provei um bombom. 🙂

Quando saímos, cada um ganhou amêndoas e bem casados. Já pedi para o príncipe esconder todas essas delícias de mim. Ele pode até comer as que eu ganhei, mas que não seja na minha frente porque será uma tortura.

Hoje conseguimos correr um pouquinho. Tô começando bem leve. Caminhei bastante e depois alternei 30 segundos de corrida com 1 minuto de caminhada.

Começamos o desafio 30 todo dia. Nesse desafio, temos que em 30 dias seguidos, fazer reeducação alimentar e, pelo menos, 30 minutos de atividade física. Ao final dos 30 dias, posta foto do antes e depois e diz quantos quilos emagreceu.

Baixei também alguns aplicativos pro celular que estou testando, depois falo sobre eles pra vocês.

E vamos continuar o foco, a autoestima, vamos trocar idéias, vamos nos incentivar.

Fiz um instagram para poder falar do meu dia-a-dia nessa nova fase de atividade física e dieta. Lá dou dicas também. @365diasmeamando Segue lá 😉

Se quiser, pode acompanhar também pelo Facebook. No Facebook, além dessas dicas, também posto outras dicas de autoestima e vocês também ficam sempre ligados nos posts. Curte lá: http://facebook.com/365diasmeamando

Para quem quiser falar comigo sobre qualquer assunto, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com. Respondo todos os e-mails que vocês me mandam 😉

Autoestima de hoje: Maravilhosa

O que me detonou: Hoje? Nada

O que fiz de bom por mim: Comecei a correr

setembro 29, 2013. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #65 – Quando a vida exige que você seja forte

Meu sumiço aqui foi proposital, estava tomando coragem de escrever tudo que preciso aqui.

Como alguns devem saber, na quarta-feira passada, dia 7/11/12, veio a temida ligação. Minha sogra acabou por não resistindo ao câncer e faleceu.

O enterro fluiu bem, o namorado tem me impressionado muito com essa força toda. Mas tem hora que não dá e no momento que foram fechar o caixão ele chorou, chorou muito, chorou feito criança e quanto mais ele chorava, mais apertava a minha mão. Apertou tão forte minha mão que chegou a doer, confesso. Confesso também que naquele momento me senti a pessoa mais importante do mundo, não trocamos uma palavra, mas ele pôde sentir que eu estava ali e iria estar sempre com ele, nos piores e melhores momentos.

Apesar das pessoas agora me cobrarem isso, não quero e não vou preencher nenhum espaço, esse lugar é dela e vai ser eternamente. Quero preencher outro espaço, quero que ele não se sinta sozinho e vazio.

Essa foto o namorado tirou da sogra uns 15 dias antes de descobrirmos a doença. Foto linda!

Quando chegamos do enterro, me senti muito cansada. Nunca me senti tão cansada na vida, mas não era só fisicamente, sabe?!

No dia seguinte fomos resolver lances de documentações e enquanto ele estava procurando os documentos, encontrou algumas fotos e um cartão lindo de 1984 que a mãe dele mandou pro pai (arrepio só de lembrar as palavras lindas que estavam escritas. E o namorado me surpreendeu mais ainda ao ver tudo isso e lembrar com alegria de tudo. Acho que esse é o correto, mas jamais conseguiria ver essas recordações sem ficar abalada emocionalmente.

O pai dele é a nossa maior preocupação agora. Vira e mexe, ele fica com o álbum de casamento, já chegou até a falar que foi tudo culpa dele que nunca foi bom marido e bom pai, o que é completamente mentira. Minha sogra era completamente apaixonada pelo marido e sempre falava bem dele, meu namorado idem.

Bom, eu estava só aguardando a missa de 7º dia para escrever aqui. Pra mim, não deveria existir a missa de 7º dia. Sei que entramos em assuntos religiosos, mas essa missa só estende o sofrimento. Enfim, ao sair da missa me senti como fechando um ciclo.

Cheguei na casa do namorado com um cansaço esquisito e praticamente desmaiei. Acordei era meia noite, eu acho, e comentei com o namorado que sonhei com a mãe dele e que ela tava bem (estava gordinha, saudável, como antes), só que eu não conseguia lembrar o que ela tinha me dito no sonho.

Peguei o celular e tinha chamada da minha família toda. Sabia que tinha acontecido alguma coisa. E, infelizmente, tinha: Meu tio faleceu!

Meu tio era casado com a minha tia (irmã da minha mãe) antes mesmo de eu nascer. Fui criada com meu primo e ele é meu irmão (na verdade, meus 3 primos – 2 são filhos de outra tia, que é minha madrinha também – são meus irmãos).

Ele era Engenheiro de uma grande empresa e sempre ganhou muito bem. Mas nos últimos anos a vida dele deu uma desandada. Teve que se aposentar e se viu sem atividade (para quem trabalha a vida toda, ficar sem fazer nada é muito difícil, deprime mesmo), o pai dele morreu, a mãe foi morar em outro estado, o filho (filho único) casou e também foi morar em outro estado.

E desde o início do ano ele vem perdendo a memória, mais para a metade do ano foi ficando um pouco debilitado (falava devagar, andava devagar). Aí que em umas 3 semanas, do nada, parou de andar e falar. Foi internado no CTI, que por uma coincidência infeliz, era o mesmo hospital da minha sogra, na mesma semana que ela também foi internada neste CTI. Disseram que era uma doença degenerativa no cérebro e não tinha jeito. Ele não reconhecia mais ninguém, se alimentava por sonda e estava sedado.

Mas eu simplesmente não aguento mais ver as pessoas que eu gosto chorarem, não aguento mais ver essas pessoas tristes. As pessoas que mais amo na vida. Quando eu tava quase bem pela minha sogra, por ver meu namorado triste, vem mais essa? Sem nenhum espaço de tempo. Tô tentando descobrir porque isso está acontecendo comigo, com certeza tem um motivo, mas to cansada, poxa!

Tô tentando me preparar para o enterro amanhã. Não sei como vai ser vendo minhas tias, minha mãe, meu primo. Todos tristes. Não sei como vai ser a reação da minha vó, ela tá tão fraquinha.

Ando tirando força do dedinho do pé, isso é uma verdade.

É verdade também últimas semanas eu só pedia a Deus que levasse minha sogra e meu tio logo. Todos temos plena consciência, que foi o melhor para os 2. Estavam sofrendo muito, fazendo todos aqui sofrerem com isso e agora, tenho certeza, que estão bem. Podem, enfim descansar.

A gente chora aqui, porque tem a saudade, né? Mas no céu tá tendo festa! Que os dois descansem em paz e vamos todos sentir muitas saudades pra sempre.

Para falar comigo sobre qualquer assunto, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Lá embaixo
 
O que me detonou: Perdendo pessoas queridas, vendo o sofrimento das pessoas que mais amo

O que fiz de bom por mim: Me tornando uma rocha

novembro 15, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #5 – Te dou um Toddynho

Ontem foi um dia daqueles que deitei, desmaiei completamente e só acordei no dia seguinte. Nem lembro o que eu sonhei. Nossa, eu tava cansada demais. Sabe quando você fica cansada emocionalmente? Acho que é pior que o cansaço físico. E é o que dizem por aí: Nada como um dia após o outro, com uma noite no meio. Lavou tá nova.

Quando cheguei no trabalho, cheguei empolgada contando que uns policiais tinham parado meu carro para uma comitiva do Rio+20 passar. E que eu fiquei olhando, procurando o Obama. Dá licença? Sou fã do Obama! Ok, eu sei que ele não veio, mas vai que…

Enfim, não era isso que eu queria contar. É que, para a minha surpresa, as meninas trouxeram coisinhas para tomarmos café juntas aqui na empresa. Tinha pão, requeijão e adivinha: TODDYNHO! Nossa, nem acreditei! Eu fiquei tão feliz, tão feliz, mas tão feliz que quem não soubesse o que tava acontecendo podia jurar que eu ganhei algum bilhete premiado naquele achocolatado tão pequenininho.

Mas eu sou assim mesmo. Pequenas coisas me alegram, me fazem esquecer de tudo de ruim, ganho o dia por muito pouco.

Pela “boca popular” isso se chama “alegria de pobre”, porque se diverte com qualquer coisa. Daí, por um acaso vi uma frase hoje que lembrei disso: “Não eduque seu filho para ser rico, eduque para ser feliz. Assim, quando ele crescer, saberá o valor das coisas, não o preço.”

Desde então, fiquei pensando: Do que mesmo as pessoas precisam para ser felizes? Por que está cada vez mais difícil ser feliz? E por que umas precisam de tanto enquanto outras precisam de muito pouco? Não sei, talvez eu nunca saiba essas respostas, mas seria tão bom que todos fossem “pobres” de vez em quando.

Texto de hoje: Janelas da vida 

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Tive que me despedir de uma amiga

O que fiz de bom por mim: Tomei Toddynho

junho 20, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Dia #4 – Mãe, cadê meu rádio?

Em dias que nada dá certo como hoje, eu conto os minutos para entrar no carro, ligar o rádio e voltar pra casa ouvindo música e pensando na vida.

Mas hoje, quando entrei ansiosamente no meu carro, percebi que meu rádio não tava lá. Procurei em todo o carro e até fora dele e nada. Como deixo meu carro na rua, cheguei à conclusão que tinham roubado meu rádio.

Chorei que nem criança quando tiram o brinquedo favorito dela. Eu não tava acreditando que tinham tirado de mim esse momento tão particular que é a minha volta pra casa ouvindo música e pensando.

Esse sempre foi meu momento preferido para pensar. Mesmo quando andava de ônibus. A minha volta pra casa sempre foi meu momento de reflexã0 do dia. Banho também é um bom momento para pensar, mas é mais rapidinho. E os minutos antes de dormir sempre são os momentos de reflexão do dia que vai vir, é quando faço minha lista mental do que vou ter que fazer no dia seguinte (eu sou maluca ou mais alguém faz essa lista?). Quer dizer, isso quando não bato na cama, desmaio e só acordo no dia seguinte, né?

Quanto a música? Me surpreende o poder que as músicas têm. Tanto para acalmar, quanto para animar qualquer defunto ou até mesmo de deixar a pessoa na fossa. Uma vez li que a música tem o poder de fazer você esquecer por uns minutos o mundo lá fora. E era disso que eu precisava hoje: Esquecer, nem que fosse por alguns minutos, o mundo do lado de fora do carro.

Pois é. Mas hoje eu voltei no silêncio. Ele foi o companheiro dos meus pensamentos.

E quando eu cheguei em casa, descobri que meu rádio não foi roubado. Descobri aonde ele tava. Oba! Terei meu velho amigo de volta.

Texto de hoje: Paz interior

Autoestima de hoje: Baixa

O que me detonou: Além de muitos problemas juntos, perder meu rádio por algumas horas

O que fiz de bom por mim: Confirmei presença numa viagem com meus amigos

junho 19, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 1 comentário.