Dia #89 – O sofrimento às vezes é bom

Desde semana passada que estou querendo vir aqui escrever esse post, acabei adiando, adiando, mas acho que agora eu preciso escrever sobre isso.

adiar

Tenho visto pessoas queridas perdendo pessoas queridas, perdendo empregos, perdendo um monte de coisa. Eu mesma, perdi um amigo querido nesse final de semana. Uma morte repentina que deixou todos em choque.

Então aproveitei que o princípe não vai dormir em casa hoje. E pra ocupar a cabeça, vim escrever. Nesse mesmo período, no ano passado, minha cabeça estava com a mesma aflição, porque ele dormia no hospital com a mãe dele. E hoje eu vi essa história se repetir quando ele saiu de casa pra dormir no hospital com a vó dele.

A vó dele é bem velhinha, tá internada e os médicos disseram que provavelmente, ela não vai sair dessa.

E eu me volto ao meu antigo problema de não saber o que dizer a ele nesse momento e me sentir uma completa inútil e péssima namorada.

medo

Só que dessa vez eu tô mais madura, ele também. Estamos mais tranquilos. Bem mais, acho que nem tem comparação.

Falei pra ele beijar e fazer muito carinho nela, aproveitar muito esse tempinho junto com ela.

Mas continuando o assunto, na semana passada fiquei pensando no sofrimento que as pessoas passam, quando não se tem força nem para levantar da cama.

Fiquei pensando que sei como é isso. Olhei pra trás e nem acreditei que conseguimos passar por tudo aquilo, que na época tínhamos a sensação de que nunca teria fim a dor. Dá um alívio tão grande ver que vencemos, que nem sei explicar direito a sensação.

E aí que pensando nisso nesse dia fui pra aula de liderança. Minha professora de liderança é uma velhinha, com tom de voz baixo, movimentos lentos, óculos maior que a cara. Mas, sim! Ela dá aula de LIDERANÇA! Não consegue nem liderar a turma que não para de falar e fala mais alto que ela, mas sim! Ela dá aula de LIDERANÇA!

velhinha-oculos-grande

A aula dela é no último tempo da noite. Eis que ela apaga a luz e diz que vai passar um filme. Quando eu estava quase dando boa noite e deitando no fichário, resolvi prestar atenção no início do filme e foi a melhor coisa que eu fiz.

O filme era sobre o filósofo Nitzsche. E aos poucos, descobri que penso muito parecido com o que ele defendia.

Ele dizia que para conseguir algo que se queira, é preciso sofrer. Que dificuldades são normais, não devemos entrar em pânico ou desistir, porque não é o fim do mundo absoluto. Sempre há um novo mundo depois do fim do mundo.

friedrich-nietzsche

Todos nós nos beneficiamos do fracasso e da dor. Como apreciar o sucesso, se nunca tiver fracassado?

O jardineiro é um super exemplo disso tudo. Ele pega raízes feias e extrai a beleza delas. Faz nascer delas algo bonito. E é o que devemos fazer com nosso sofrimento, nossa dor, nosso fracasso. Devemos extrair algo de bom.

Nem tudo que nos faz sofrer, é ruim. Como nem tudo que nos deixa feliz, é bom.

Felicidade não é fugir dos problemas, é enfrentá-los e tirar algo bom deles. Então não tente fugir, de uma forma ou de outra, dos seus problemas. Não se afogue em um copo de cerveja, porque nela não está sua solução (Beijo SPC e Raça Negra).

E como todo mundo sabe, “Aquilo que não me mata, só me fortalece”. E agora, graças a Deus, eu estou bem mais fortalecida.

Beijos,

Nanda 😉

Para falar comigo sobre qualquer assunto, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com. Queria dizer que tô muito contente. Estou recebendo e-mails e comentários de várias noivinhas. Algumas que dizem passar pelo mesmo caso que eu, outras que fecharam na mesma casa de festas. Vocês são lindas! Amo os e-mails de vocês e respondo todos.

E não esqueçam de curtir nosso Facebook. Sempre coloco fotos, mensagens lá. http://facebook.com/365diasmeamando

Autoestima de hoje: Boa

O que me detonou: Provas, provas, provas

O que fiz de bom por mim: Percebi que não fugi e estou fortalecida

setembro 24, 2013. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. 2 comentários.

Dia #56 – Essa rotina já não satisfaz

Dia desses eu tava voltando pra casa e começou a tocar no rádio uma música do NX Zero que anda fazendo um sucessinho atualmente, mas que, apesar de saber cantá-la toda, nunca tinha prestado atenção na letra. Sim, já sei o que você vai falar: Que é Emo, que só sofre, que de cortar os pulsos. Mas sério! Leia a letra dos caras, a música se chama “Maré”.

Todo dia ela chega em casa
E se pergunta: O que é que eu to fazendo aqui ?
Todo dia chega do trabalho
Olha pro lado sem saber pra onde ir

Vê que a vida que leva não é a mesma
Que planejou quando era feliz
Todo dia isso se repete
Ela procura um motivo pra sorrir

Com o tempo a vida faz crescer e aceitar
Que de repente tudo muda e troca de lugar
Não se entregue e não deixe a maré te levar
Só não deixe a maré te levar
Com o tempo a vida faz crescer e aceitar

Todo dia ele toma um gole
Pra esquecer tudo o que deixou pra trás
Todo dia ele se arrepende de não ter
Feito o que era capaz

Vê que a vida que leva não é a mesma
E essa rotina já não satisfaz
Todo dia isso se repete e ele procura
Encontrar a sua paz

Não faz muito tempo que estava conversando com alguém justamente isso, que conforme a gente vai amadurecendo, nossos gostos e vontades vão mudando. E talvez aquilo que você queria muito, sempre sonhou, hoje não lhe agrade tanto.

Já aconteceu com alguém aqui de planejar muito a sua vida ou apenas alguma coisa e quando finalmente isso acontece, não tem tanta graça? Ou até tenha passado um tempo e você não tenha conseguido, mas nem sente mais vontade de ter aquilo para você?

Eu tinha uma amiga que, no colégio, ela sempre se apaixonava perdidamente por um garoto, cismava com esse garoto específico e ficava tentando conquistar. Quando finalmente o garoto chegava nela, na maioria das vezes ela dizia não (dava o famoso “toco”). E se ela topasse sair com ele, depois da primeira vez, já enjoava e começava a fugir do pobre coitado da vez.

Um dia eu perguntei porque ela fazia isso e ela dizia que ela ficava tanto tempo querendo aquilo que quando acontecia, perdia o sentido.

Será que a questão apenas é nossa mudança constante ou será que nunca estamos acostumados com o que temos?

Tá certo que a rotina é uma desgraça. Eu sempre odiei a rotina. Sempre acaba tornando aquilo que era muito legal e que sempre quis, numa coisa chata e entediante. Mas como a música fala, é não se entregar.

Porque quando realizamos um sonho fica uma sensação de “e agora?”. É nesse momento que precisamos de um novo sonho.

É assim que tem que ser. Conquistou aquilo queria muito? Você está pronto para querer muito outra coisa e lutar para conseguí-la. O importante é nunca perder o motivo para sorrir.

Obrigada, NX Zero! Grande lição em apenas 5 minutos.

Para falar comigo sobre qualquer coisa, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Rotina

O que fiz de bom por mim: Me renovei completamente

outubro 18, 2012. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , . Uncategorized. 2 comentários.