Dia #39 – Run Nanda Run

Enfim sexta-feira! O dia tão aguardado na semana. Para alguns, porque pra mim não é muito diferente. Amanhã tenho aula na faculdade de manhã cedo e de tarde eu trabalho, então não me animo muito. Mas já perceberam como sexta tem um ar diferente? As pessoas são mais animadas, mais falantes, diria que é até mais legal trabalhar.

Tô morta, moída! Retornei à minha rotina de trabalhoxfaculdade e todo mundo saber que trabalhar e estudar é uma arte. Pra você ter uma idéia do quanto tô cansada, hoje passei uma super maquiagem porque só Jesus na causa dessa cara acabada, né?! Daí todo mundo aqui no trabalho reparou que me maquiei e eu disse que tinha feito para esconder esse cansaço. A nossa gerente me disse que hoje eu tô mesmo com a autoestima baixa, mas nada disso! Muito pelo contrário. Eu tô tão bem comigo mesma que não quis que a minha aparência abalasse minha autoestima.

Ah, e vocês não sabem: Pedi pro meu namorado me ensinar à correr. Sim, eu sempre corri como a Phoebe do seriado Friends:

Por isso pedi que ele tivesse paciência comigo (não só no início da corrida, como durante e até o final). Como nunca corri na vida, pegamos aqui um programa de corrida para iniciantes que é bem legal.

Ok, eu super morri, coloquei “meus bofi todo” pra fora, mas adorei. Na primeira corridinha, achei que eu fosse morrer, mas que nada! Nem morri. Fiz de novo e de novo. Foi complicado, mas tô aqui, toda dolorida, mas quero mais! Adorei! O namorado prometeu que íamos correr esse final de semana ou na Lagoa ou na orla da praia. Vamos acompanhar os próximos capítulos.

E pretendo conseguir completar esse programa de corrida. Vou mantendo vocês informados.

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Cansaço

O que fiz de bom por mim: Hoje vamos num pagodchenho

Anúncios

agosto 24, 2012. Tags: , , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Dia #38 – Erga essa cabeça e mete o pé

Eu tô numa TPM dos infernos, com vontade de me enfiar num buraco e não sair de lá um bom tempo. Mas mesmo assim resolvi vim aqui contar pra vocês que no sábado vi um filme maravilhoso, “Missão Madrinha de Casamento”. Nada fugindo daquele roteiro normal de comédia romântica, porém, pelo menos para mim, com uma mensagem maravilhosa (eu sempre tento buscar as mensagens que os filmes passam para a gente de forma implícita ou não).

O filme se trata de uma história de uma mulher que dá tudo errado na vida dela. Sério, a zica dela era forte mesmo. Perdeu o emprego, a amiga, a casa e por aí vai.

O problema é que a moça queria que todos sentissem pena dela por tudo que estava acontecendo com ela, porque ela mesma tinha “autopena”. Óbvio que ninguém sentiu dó da pobre coitada e ela foi definhando até que não saía mais de casa, não atendia ligações de amigas, não fazia mais nada.

Um belo dia uma amiga foi na casa dela sem avisar e deu uma bela sacudida nela. Sacudiu literalmente, encheu ela de porrada. Tudo isso pra ver se ela reagia, reagia pra vida, sabe?!

E quantas vezes eu já não tive vontade de fazer isso com amigos? Imensas, milhares de vezes.

E daí que nada dá certo na sua vida? Não gosta do seu trabalho? Procura um que te dê mais prazer. Foi demitido? Opa, o que não faltam são ofertas de trabalhos por aí, mas tem que procurar, tem que se mexer. Se acha feio? Faça alguma coisa que melhore sua aparência. Não têm amigos? Saia, conheça pessoas novas.

O que não dá é ficar parado esperando que o céu conspire à seu favor, porque ele não vai. Aceite isso, meu bem. As coisas boas só acontecem para quem as procura, para quem faz por onde.

Enquanto você fica aí reclamando da sua vida, ela tá passando. Então se mexa já. Não me obrigue a ir aí na sua casa te encher de porrada.

Autoestima de hoje: Baixíssima

O que me detonou: Mulheres me respondam essa: Tu já tá na TPM e furam com você. Como fica? Ah, tá!

O que fiz de bom por mim: Me mexendo todos os dias

agosto 21, 2012. Tags: , , , , , , . Uncategorized. 5 comentários.

Dia #37 – Fica decretado assim

E aí, como foi o final de semana de vocês? O meu foi bem legalzinho. Com direito a Japa (nham nham…adoro), muitos filmes (todos toscos, por sinal), sol (não adianta, eu não queimo NADA!!) e teatro. Fomos ver o stand up do Fabio Porchat, o Fora do Normal. Super indico, galera. Muito bom. Está em cartaz lá no Barra Square. Podem ir que garanto que vão rir muito.

O problema é só ter que voltar à realidade hoje, na segunda-feira. Não poderia ser final de semana sempre?

Até que eu ainda tava me lamentando de ser segunda-feira e vejo esse comercial da Unimed que foi um tapa na cara por muita coisa e sei que foi tapa na cara de muita gente também. Não é novo, mas é lindo:

“A partir de hoje fica decretado:

O que você prometeu começar hoje, deve começar hoje (ouviu isso, namorado? rsrs)

Segundas-feiras são boas (sério mesmo?)

Vida real é melhor que virtual (tá, tá…tô aprendendo)

Trânsito é para fazer amigos (ando mais estressada com o trânsito do que o normal, preciso sério me controlar)

Todo amigo mala tem salvação (não ando com paciência com ninguém 😦 )

Mau humor só com bom humor (tô me forçando a ficar de bom humor, mas tá difícil)

Pedir desculpas é legal (isso é mesmo, é difícil reconhecer que errou, mas você se sente leve. É muito importante pra você e pra quem te rodeia)

Fica decretado que você é perfeita do jeito que você é (por que não conseguimos aceitar isso de jeito nenhum?)

Tios podem contar piada, pode ser a mesma piada da semana passada (simmmmm e você vai dar aquele risinho só pra agradá-lo, porque tios são tios, né?!)

Você pode começar de novo, sempre (todos os dias você tem a possibilidade de começar de novo e fazer um novo final pra sua história)

Lua cheia é pra namorar (namorado, ouviu isso também?rs)”

Decretos entendidos e aceitos.

Agora deixa eu ir lá que ainda preciso ver a novela (tá pegando fooooogo) e estudar.

 

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Trânsito. Ele tá tirando todo meu humor todos os dias

O que fiz de bom por mim: Decretei muita coisa boa

agosto 20, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #36 – Vó, vózinha minha

Hoje no rádio estavam falando de memória e que pessoas ansiosas tendem a ser mais esquecidas porque elas vivem sempre à frente, no futuro e acabam esquecendo de viver o presente. Mas esse assunto já discutimos aqui, inclusive eu sou ansiosa em excesso, não queria ser tanto, mas tento me controlar.

O problema foi que eles mencionaram o Alzheimer e do quanto é difícil para a família. O portador da doença só sofre mesmo quando ela está no estágio inicial, que ele começa a perceber que está perdendo a memória recente. Daí lembrei logo da minha vó materna, ela sofre dessa doença.

Posso dizer que essa doença é maldita ao extremo. E a família tem que ser muito paciente. O médico já indicou um livro para lermos, porque é importante que a família tem que entender da doença. Por exemplo, se ela pergunta alguma coisa e depois esquece, é importante que não mostremos pra ela que já perguntou isso, respondemos sempre como se fosse a primeira vez. Não tenho certeza, mas acho que é porque ela fica triste quando vê que já perguntou e esqueceu.

Outro dia minha vó começou a chorar comigo falando que ela tinha muito medo de acabar um dia não reconhecendo os netos e isso ia ser a maior tristeza da vida dela. Ouvi isso, engoli o choro (parecia que eu tava engolindo uma pedra), fingi que eu tava rindo e disse que nós nunca iríamos deixar ela esquecer da gente, porque somos tão chatos que ela nunca ia esquecer. Ela deu um sorrisinho e ficou quieta. Foi um dos piores momentos da minha vida e contar isso pra vocês não tá sendo muito fácil.

Esse tipo de pensamento foi levando a minha vó à depressão. Ela não tinha mais vontade de nada. Por diversas vezes já chegamos na casa dela e encontramos ela deitada olhando pro teto, com a tv em frente desligada. Quando perguntávamos o motivo, ela dizia que não queria fazer nada.

E a depressão foi levando à outras doenças e aí que comecei a perceber que minha vó não queria mais lutar pra se curar, sabe? Tinha a impressão de que ela tinha perdido também a vontade de viver. Ai, não sei!

Até que ela foi parar numa cama de hospital e nos dias em que dormi com ela (eu, minha mãe e minhas tias revezávamos no hospital) percebi o quanto estava fraquinha e triste. E a coisa mais gratificante foi um dia em que acordei no hospital e fui me arrumar pra trabalhar e ela pediu pra maquiá-la e passar perfume e depois ainda fez pose pra eu tirar uma foto e mandar pros meus primos. Alegrou completamente meu dia.

Acho que com o carinho de todos nós, ela foi se alegrando. Tá bem melhor, mesmo. Se alegra pra ir fazer comprinhas aos finais de semana. Inclusive, semana passada eu liguei pra ela e ela tava indo à uma festinha de aniversário de uma amiga. Que saidinha!

Morro de medo de perdê-la.

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Escrever esse post, foi bem difícil. Não gosto de falar esse assunto com ninguém. Me deixa desestruturada.

O que fiz de bom por mim: Ahhh, hoje é sexta, né?! O dia fala por si próprio

agosto 17, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 8 comentários.

Dia #36 – Ei, timidez eu não te escuto mais

Hoje eu tava conversando com uma menina que é uma coisa fofa. Ela tava me contando que é super apaixonada por um menino, mas os dois são super tímidos. Ela disse que nunca sabe como agir perto dele, que quando tem que falar com ele, só fala besteira e a voz sai esganiçada. Eu achei isso tudo tão fofo que soltei uma gargalhada imaginando ela tentando conversar com ele.

Ai, a timidez! Ô peste maldita que nos assombra.

Eu, por exemplo, sou mega-super-ultra tímida. Sei que se meus amigos lerem isso vão falar que eu sou a maior mentirosa da história e que timidez passa longe da minha pessoa. Mas nem é!

Sempre fui muito bicho do mato, desde criança. Nunca fui de me enturmar rápido, não participava de brincadeiras e assim fui crescendo e me saindo como a garotinha nojentinha ou até mesmo mal educada.

Nossa, são incontáveis as oportunidades legais que perdi por conta da minha timidez. Quantas coisas tive vontade de fazer, mas com vergonha acabei deixando pra lá. Eu tinha (tenho ainda, na verdade) medo do que as pessoas iriam achar, iriam falar, de qual seria a reação delas.

É uma sensação muito ruim. Você fica pensando: “Eu vou, eu vou….isso..agora…é a minha deixa….tô indo….ai….não consigo…melhor deixar”.

Com o tempo eu fui cansando disso e eu mesma me proíbi de deixar de fazer as coisas por conta da timidez, eu me forço fazer, a falar o que quero.

Não tem nenhuma fórmula secreta. É você com você mesmo. É aquele lance de autocontrole que a gente sempre fala por aqui.

Por isso que as pessoas têm a impressão de sou uma das pessoas mais extrovertidas de que existe na face da Terra, mas no fundo eu tô morrendo de vergonha.

Até hoje, qualquer coisinha me deixa rosinha (se for das brabas, eu fico roxa mesmo). E quer me deixar mais vermelha? É só falar: “Ih, você ficou até vermelha”. Pronto, eu fico mais e mais e mais e parece que vou explodir. Meu sangue chega a ficar quente.

A diferença é que isso não me vence mais, não me impede de mais nada. Óbvio que tudo com muita consciência, né?

É que nem aquela música do Jota Quest que diz, “Ei medo, eu não te escuto mais. Você não me leva nada”.

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Mais trânsito dos infernos para chegar no trabalho

O que fiz de bom por mim: Me toquei que amanhã já é sexta. Tem alguém feliz aí?

agosto 16, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Dia #35 – Vamos comemorar o dia do solteiro

Hoje é dia do solteiro e eu tô feliz em não comemorar essa data depois de muito tempo. Meu namorado até me mandou uma foto pra me lembrar que não comemoro mais (pra quem não sabe sou completamente viciada em Pandas).

Vê se não é a coisa mais linda do mundo

Mas e quem vai comemorar a data de hoje? Sim, não vejo nenhum problema em ser solteira. E sim, a vida de solteira deve ser comemorada.

Por favor, não estejam com alguém só por estar. Você sabe que a pessoa nem tem muito a ver com você e você nem gosta tanto dela assim, mas tá com ela porque tem medo de ficar sozinha? Por favor, né?! Passa amanhã que hoje tô com preguiça de você.

Você tem amigos? Então nunca está sozinho! Você tem família? Então nunca está sozinho!

E não é só isso. Existem tantas coisas gostosas de se fazer sem cia que eu ficaria o dia todo aqui falando para vocês. Mas as minhas preferidas?

– Ler livro. Poucas coisas na vida me dão mais prazer do que passar horas lendo um bom livro. Já até comentei sobre isso aqui. Se você não gosta de ler, provavelmente está lendo as coisas erradas.

– Ver seriados. Nossa, quantos finais de semana eu passei super autista embaixo do edredom vendo boxes dos meus seriados preferidos (The OC, Friends, Sex and The City). Provavelmente, você não vai encontrar alguém que divida com você a preferência pelo mesmo seriado.

– Andar de bicicleta na orla. A sensação de liberdade que dá é algo que talvez você nunca sinta igual na vida.

– Ficar na internet lendo blogs, mexendo em rede social, vendo vídeos. Ok! É nerd, mas eu gosto!

Também nunca consegui entender pessoas que engatam um namoro no outro. Tudo bem que de vez em quando pode acontecer, mas sempre? Não sei! Eu acho que a pessoa tem que ter um tempo solteira. Se curtir, se conhecer melhor, respirar, sabe?! E não é só isso: todo mundo tem mesmo que ter a fase de paquera, de sair com os amigos, de conhecer pessoas novas. Tem coisa melhor na vida do que fazer novos amigos e cultivar os antigos?

Bom, você que tá solteiro, não se sinta triste, nem carente e nem nada disso. Comemore o dia de hoje. Tá, não precisa ser exatamente hoje porque é meio de semana, mas final de semana está aí e garanto que seus amigos vão topar uma comemoração mesmo que atrasada.

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Trânsito dos infernos para chegar no trabalho

O que fiz de bom por mim: Fiz minha listinha de prazeres “alone”

agosto 15, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Dia #34 – Qual a diferença entre inocente e ser positiva?

Hoje aqui no trabalho resolvemos fazer um bolão da Mega-Sena. Nunca joguei antes na sena, mas vai que….

Logo, se amanhã eu não escrever aqui, saibam que eu ganhei, to rica e sumi no mundo.

Resolvo todos os meus problemas, aqueles que não tiverem solução, eu compro.

Já fiz minhas contas mentais, meus planos com meu possível e bem remoto dinheiro. Se é pra sonhar, vamos sonhar direito, né?

Por falar em sonho, minha mãe fala que eu sou muito sonhadora e meu namorado (hmmm…eu tenho um namorado…rs) fala que eu sou muito inocente, eu nunca vou esperando o pior, acho que tudo vai ser perfeito sempre.

Não vejo nada de mal nisso. Por que eu tenho sempre que esperar que as coisas não dêem certo?

Interrompemos nossa programação para anunciar a mensagem que acabo de receber no celular: “Oi, tudo bem?” “Tudo! Quem é?” “Faz tanto tempo que você nem lembra mais de mim, né?” Fiquei um tempo tentando lembrar quem poderia ser, até que recebo outra mensagem: “Estudei com você no Equipe e no Elite” “Nunca estudei em nenhum desses 2 colégios 😦 “.  E aí? Se convenceram de que eu atraio maluco? Outro dia recebi umas mensagens de um casal que insistia que tinha conversado comigo no chat da UOL e queria marcar um sexo à 3, mas depois eu conto essa para vocês.

Bom, voltando ao raciocínio de lá de cima:

Se eu for esperando o pior ou começando uma coisa achando que ela pode dar errado, melhor nem começar. Eu tenho sim que esperar que as coisas saiam perfeitas, do jeito que eu quero.

Sei lá, não me acho inocente, me acho positiva talvez. Não sei se “positiva” seria a palavra certa.

Claro que tudo com o pé no chão. Óbvio que não espero coisas absurdas, não espero que coisas impossíveis aconteçam (mesmo achando que elas poderiam acontecer, né?).

Isso eu digo em relação à situações, projetos, planos. No quesito “pessoas” não sou tão assim.

Até costumo dizer pra uma amiga minha que ela é muito boazinha, que ela sempre espera o melhor das pessoas, sempre que as pessoas vacilam ela acha que não fez por maldade e fica buscando motivos que a pessoa pode ter tido para fazer tal coisa.

Não sei se já disse isso aqui, mas não espero nada de ninguém. Faço as coisas sem esperar nada em troca, nem consideração. Faço porque gostaria que fizessem comigo. O que vier de bom delas pra mim, é lucro.

E você? Se considera Inocente? Positivo?

Autoestima de hoje: Média

O que me detonou: Me vi numas fotos e me achei bem feia, mas bem feia mesmo. rs

O que fiz de bom por mim: Joguei na sena e comprei 10 raspadinhas. É hoje que eu fico rica!

 

agosto 14, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #33 – É Ele

Como eu disse aqui no meu primeiro post aqui, comecei esse blog me inspirando no blog da Gisela Rao, o Vigilantes da Autoestima. Eu simplesmente me identificava muito com o que ela falava, com as situações da vida dela e era tudo lindo. Até ela começar a namorar. Coincidência ou não, desde quando eu li o post em que ela começou a namorar, eu parei de ler o blog dela aos poucos (mas ainda recomendo porque é muito bom).

Lembro que cheguei a comentar com uma amiga que a Gisela era muito eu e que ela tinha começado a namorar e que eu não sabia se ainda namoraria na vida, se um dia ainda me daria bem com alguém a ponto de nos encaixarmos e termos um relacionamento.

Sempre que terminamos um relacionamento, temos a impressão que nunca mais vamos gostar de ninguém e nunca mais vamos nos envolver com alguém. Não sei, mas acho que pensar assim é normal.

Me envolvi com algumas pessoas, cheguei até a namorar por 1 aninho e tal. Mas sempre me vinha a cabeça que nunca mais conseguiria me envolver do jeito que me envolvi com meu primeiro namorado, que nunca mais ia gostar de alguém do jeito que gostei dele e nunca na vida ia encontrar alguém que tivesse a ver comigo.

Confesso que por muitas vezes isso me deixava bastante triste. Poxa, não é possível que todo mundo tenha a chance de encontrar alguém que o complete e eu não. Eu sou tão defeituosa assim que não existe minha outra metade por aí?

E aí que eu acho que eu tava com muita neurose com isso e esqueci de mim. Esqueci de gostar mais de mim, de fazer coisas que me trariam prazer, de me ver feliz. E bem quando eu comecei a voltar a me amar, voltar a controlar tudo isso, abri portas para que alguém gostasse de mim. Mas não era um alguém qualquer, era ELE.

Logo que o conheci, pensei “Socorro! Ele é idêntico a mim, gosta de tudo que eu gosto, pensa parecido comigo! Não posso me envolver, não posso me envolver, não posso me…, não posso…, não…”. Quando vi já estava mais do que envolvida.

Meus amigos sempre me dizendo pra eu cair fora, que não tinha futuro, que eu tava dando murro em ponta de faca, que eu era burra e tudo mais. Mas e daí que eu ia me machucar? Eu queria tentar. E se desse certo? Nem todas as histórias são iguais e a minha podia ser diferente.

E eu fui tentando, mas com medo de ser fogo meu. Eu podia estar só carente ou ser teimosia mesmo.

Até que um dia fomos comprar um terno pra ele ir num casamento comigo. Quando ele entrou na cabine para experimentar o terno e saiu pra me mostrar. Hmmm, ele tava tão lindo. Nessa hora eu tive certeza que era ele. Que era ele que eu queria comigo. Teria que ser ele.

As coisas entre a gente aconteceram bem devagar, mas eis que no sábado eu ganhei um namorado pra chamar de meu.

Não posso dizer que ele me completa, mas com certeza ele me soma.

Autoestima de hoje: Altíssima

O que me detonou: Ir ao mecânico logo numa segunda-feira de manhã cedo não é de Deus

O que fiz de bom por mim: Me somando

agosto 13, 2012. Tags: , , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Dia #32 – Na fila com o Maradona

Situações inusitadas sempre acontecem comigo.

Ontem, por exemplo, tava na fila pra pagar meu café da manhã quando dois portugueses começaram a conversar comigo e eu conversei com eles como se eu fosse super nativa de Portugal. Eu não entendia nem metade do que eles diziam e, com certeza, era totalmente recíproco. Mas assim fui feliz pela manhã (creio que eles também).

Tudo bem, esse não foi nada demais, mas o fato é que me fez lembrar de um acontecimento muito curioso, eu diria.

É sério, gente! No orkut (que Deus o tenha…amém), uns amigos até fizeram uma comunidade chamada “A Fernanda atrai maluco”. Porque eu atraio MESMO!

Mas vamos pra histórinha de hoje:

Lá em Búzios tem uma boate chamada Privilége (é ótima por sinal, super recomendo). E quando a gente vai pra lá saímos sempre de manhã. De manhã que eu digo é lá pelas 8h da manhã.

Sempre que saímos vamos direto para o Bob’s (que fica super lotado da galera que volta da night) matar quem está nos matando, a fome.

Nesse dia eu tava sozinha na fila gigante e um argentino (lá em Búzios é o que mais tem) resolveu puxar papo comigo, pedir informação, me cantar, até hoje não sei qual era a intenção do Maradona.

Maradona: Le Maradona blablablablabla (eu já tava mais pra lá de alcoolizada e eu não entendo lhufas de espanhol)

Eu: Oi?

Maradona: Le Maradona blablabla?

Eu, na segunda tentativa, parei, pensei, olhei para cima pensando, tentei processar o que ele disse e: Oi??

Maradona já meio irritado: LE MA-RA-DO-NA BLA-BLA-BLA

Eu, fazendo cara de super triste: Desculpa! No coprendo! (naquele portunhol todo)

Maradona um pouco decepcionado: Ahhh (e virou pra frente).

Continuando na fila….

Maradona vira pra mim de novo: Le Maradona blablablabla

Eu: Desculpa. No comprendo mesmo!

Maradona muito decepcionado: Ahhhhhhh… (virou pra frente de novo)

Já no balcão esperando meu lanche ficar pronto e o Maradona do lado esperando o dele, começa a tocar uma música em inglês (acho que tinha passado um carro com som alto) e eu super empolgada cantando. O Maradona me olhou como quem descobre a cura para a Aids.

Maradona: Do you speak english?

Eu, muito feliz que enfim conseguiríamos nos comunicar, respondo MUITO empolgada: YEAAAAH!

Maradona fecha todo o sorriso, dá um suspiro e responde: Ah, “me no”.

Fiquei olhando pra cara dele como quem tenta resolver um problema de lógica.

Porra (pode falar palavrão aqui, Bial?), Maradona! Tá de deboche com a minha cara?

E assim fui embora pra casa super frustrada por não saber o que o Maradona queria comigo. 😦

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Meu celular tá quebrado 😦

O que fiz de bom por mim: Ainda organizando minha vida

agosto 2, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 2 comentários.

Dia #31 – Aprendendo a organizar

Eu hoje joguei tanta coisa fora, eu vi o meu passado passar por mim. Cartas e fotografias, gente que foi embora.

A música é do Paralamas do Sucesso, mas com o respeito da citação, Hebert Vianna, esse foi o meu dia ontem.

Eis que tentando organizar minha vida me deparei com um quarto todo bagunçado. Me perguntei como eu queria organizar minha vida se eu nem era capaz de manter um simples quarto organizado.

Eu geralmente jogo tudo da cama pra mesa e da mesa pra cama e ali vai ficando. Porque isso é muito cômodo, aí eu vou deixando do jeito que tá.  Na vida, funciona da mesma maneira. Não sei aonde eu tô e nem aonde quero ir, mas vou levando. Só que não dá mais, não quero mais isso, não tô mais satisfeita com isso.

Resolvi arrumar tudinho. Não tem lugar pra guardar tal coisa? Lixo! Naquele local tá uma poluição visual? Lixo! É lindo, mas não vou usar? Lixo! Tá quebrado, mas talvez tenha conserto? Lixo (eu nunca vou mandar consertar mesmo)!

Confesso que foi bem difícil me desfazer de algumas coisas. Algumas tem valores sentimentais, outras foram presentes de pessoas queridas, outras me trazem lembranças legais. Mas nada disso ficou. Tomei coragem e fiz a limpa mesmo.

E pra quem pensa que acabou, tá muito enganado. Hoje tem mais e muito mais. Só paro quando aquele quarto estiver completamente clean. A dúvida é: será que eu vou ter coragem de me desfazer de mais coisas? Que difícil que é se desapegar das coisas (nem comento o quão difícil é se desapegar de pessoas).

Mas como a música do início desse post diz, “A casa fica bem melhor assim”.

Autoestima de hoje: Média

O que me detonou: Sono

O que fiz de bom por mim: Organizando minha vida

agosto 1, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 5 comentários.