Dia #3 – Fresca ou P…?

Fui almoçar com uma amiga minha e estava contando à ela sobre uma conversa que um dia tive com o meu irmão, em que falávamos de duas namoradas de amigos dele e eu comentei que as meninas de hoje em dia são muito frescas, cheias de vontade. Foi quando ele disse o seguinte: “Mas é por isso que eu não tô namorando. Odeio mulher fresca, não tenho paciência. As mulheres maneiras são todas p…”.

Daí eu e minha amiga chegamos a conclusão que é verdade e que, hoje em dia, não existe mais meio termo. Ou é fresca ou é p…

Pensei! Pensei! Pensei! Então eu sou p…? Porque não tenho nada de fresca, isso passa longe de mim e, assim como meu irmão, não tenho paciência com frescura.

Falei para a minha amiga dessa minha conclusão ela disse ela também estava mais para p… do que fresca. E me contou de uma imagem que estava rolando na internet que achei bem legal. “Se ser cachorra é ser livre, então late que eu tô passando”. Confesso que ri alto com essa frase e achei sensacional. Concordo em número, gênero e grau.

E você? Se encaixa no grupo das frescas ou das p…?

Texto de hoje: Se ser cachorra é ser livre, então late que eu tô passando!

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Péssimo atendimento aonde fui almoçar. Detesto ser mal atendida. Tira meu humor

O que fiz de bom por mim: me inscrevi num curso de fotografia

Anúncios

junho 18, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized.

3 Comentários

  1. Yan de Carvalho replied:

    p. = puta ?

    Acho esse termo mt machista/conservador e já está ficando ultrapassado.
    O que torna uma mulher puta ? Dar no primeiro encontro ? Ficar com 10 numa noite ? E se ela só transar com namorado mas trocar de namorado de 4 em 4 meses ? ela tb é puta ?
    Com quantos homens uma mulher deve se relacionar sexualmente até morrer sem que seja julgada de puta ?
    A moça que dá na primeira noite pra um rapaz pode ser a mesma que demora 1 semana pra dar.
    Isso é um problema que a grande maioria da civilização ocidental carrega por conta do cristianismo, onde por muitos
    séculos o sexo/prazer foi/é tido como algo pecaminoso.
    Quem pode fazer uma avaliação moral do prazer ?
    ansiedade velha que é contemporânea mas que já não deveria ser contemporânea.
    medo líquido

    • nandapereirac replied:

      Pelo contrário, Yan!

      Não acho puta quem dá no primeiro encontro, quem se relaciona com um monte de homens. Acho essas mulheres com personalidade o suficiente de saber o que quer.

      Mas o importante não é com quantos caras você se relaciona, mas quantas pessoas ficam sabendo disso.

      Sempre, em discussões, falo que o que faz de uma mulher ser “piriguete” é a atitude dela em relação à essas coisas. É pegar o namorado da amiga, é chegar numa festa e transar no meio da boate, é usar saia sem calcinha, esse tipo de coisa.

      Beijos

  2. Yan de Carvalho replied:

    DI DI SAINHAAAAAAAAAAAAAA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback URI

%d blogueiros gostam disto: