Dia #13 – Eu sei no que você está pensando

Nós e essa nossa mania de querer adivinhar o que se passa na cabeça dos outros.

Outro dia eu coloquei naquele programa que é baixaria todo dia, A Fazenda. E estava um grupinho de pessoas comentando sobre a atitude de um dos participantes. E cada um tinha uma teoria sobre o motivo da pessoa ter feito tal coisa.

“Só se ele fez isso, porque pensou que….”

“Não, acho que ele fez porque tava com raiva da fulana e sabia que se ele fizesse isso, ela ia ficar puta”

“Será? Não acho que ele pensou nisso, não”.

Acho que ele não pensou nisso? Ele sabia que se fizesse isso? Desde quando podemos adivinhar o que se passa na cabeça da outra pessoa?

Isso me fez pensar um pouco. Nós temos a audácia de querer imaginar o que se passa pela cabeça do outro, criamos situações, por vezes fantasiosas demais para a realidade. E às vezes a pessoa não tava pensando em nada disso, fez sem querer.

E aí comecei a viajar no meu pensamento. Fiquei pensando que se eu tivesse num Reality Show desse, como eu agiria. Porque todo mundo sabe que falar mal dos outros em Reality é assinar a própria carta de demissão. Logo, uma pessoa um pouco mais inteligente sabe que está num jogo, é necessário jogar e jogar bem. Eu, querendo ganhar ou chegar até os finalistas iria querer jogar bem, isso inclui não falar mal dos amiguinhos, muito menos de suas atitudes.

Ficar por meses, sem ter nada para fazer, começar a reparar na atitude de todo mundo e não poder comentar para não se queimar? Não inventar nenhum tipo de teoria para explicar a atitude de tal participante? Ou até inventar, mas não poder falar isso em voz alta? Nossa, isso seria uma terapia para mim, viu?!

É inconsciente, nós temos essa mania, mas nunca nos tocamos disso. Nunca paramos pra raciocinar que cada um pensa de um jeito, mas já julgamos suas atitudes, apontamos seu erro e encontramos explicações baseados nesse “achismo”.

Vamos juntos tentar pensar um pouco antes de falar? Ou até mesmo pensar um pouco antes de pensar? Acho digno!

Obs: Olha que lindo o que a minha amiga aqui do trabalho fez no meu cabelo ontem (hoje ela também fez uma linda, mas ainda não consegui tirar foto)

A de ontem

Texto de hoje: Evite Julgar as Pessoas

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Bateram no meu carro ontem enquanto eu tava no trabalho e eu não consigo tirar da minha cabeça isso, o preju que vou ter e como vou ter que resolver

O que fiz de bom por mim: Trancinhas no cabelo 🙂 

Anúncios

junho 28, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Dia #12 – Eu não tenho nada a ver com isso

Problema é um raio de uma coisa que todo mundo tem e sempre vai ter. Mas se tem uma coisa que me tira do sério, é uma pessoa passar para todas as outras um problema que é seu, somente seu.

Briguei com a minha mãe. Ok! Quem não briga? Mas o que o meu amigo tem a ver com isso? Por que eu tenho que fechar a cara pra ele que não me fez absolutamente nada? Ou sair por aí distribuindo patadas gratuitas?

Não tô falando que você não tem o direito de ficar chateado, irritado, de mau humor. Jamais diria isso! Pelo contrário, você tem que sentir tudo isso. Precisa extravasar.

O que estou dizendo é que você não tem que descontar nada em ninguém. Até porque a outra pessoa não sabe do que está acontecendo, não te fez nada e ainda pode levar pro pessoal (e é certo que ela vai levar). Vai acabar magoando uma pessoa que a única coisa que fez a ti foi estar no lugar errado, na hora errada.

É até um pouco de burrice. Porque você podia estar aproveitando para contar dos seus problemas para seu amigo, desabafar. Garanto que ele seria a primeira pessoa à te ajudar. Se não puder ajudar, pelo menos te distrair com besteiras. E deixando-o chateado, só vai ter conquistado mais um problema na sua vida.

Eu, por exemplo, ando muito estressada. Muita coisa acontecendo em um curto espaço de tempo. Tudo isso misturado à uma TPM. Daí já sabe, né? Mas eu tento ao máximo não descontar em ninguém a minha irritação. Nesses momentos, eu prefiro até ficar calada. Algumas pessoas até confundem isso com mau humor. Mas nem é. Eu chamaria de prevenção para que não corra o risco de não me irritar com ninguém sem motivo, ou por um motivo muito besta.

Tá faltando maturidade nas pessoas para saber em quem descontar as coisas. Não estou dizendo “olha como sou madura”. Todo dia a gente amadurece um pouco, aprende um pouco. E esse é meu exercício quase que diário (um deles).

Por um mundo com menos patadas e mais compreensão. 🙂

Texto de hoje: A sua irritação não solucionará problemas… 

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Mexeram nas minhas coisas

O que fiz de bom por mim: Tentando não me irritar

junho 27, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #11 – Alguém que te faça rir

E estava eu hoje no meu momento tão particular de reflexão no carro, ouvindo meu rádio.

Até que coloquei num programa de discussão de relacionamentos. O tema de hoje era “O que te faz investir numa pessoa?”. E aí que vários ouvintes mandaram as qualidades essenciais numa pessoa que os fazem investir.

Me dei conta que eu não tenho um roteiro pronto, não tenho um homem idealizado na minha cabeça. Acho que o que torna a pessoa interessante é a o conjunto, a mistura das qualidades e dos defeitos dela.

O programa contava com a participação de uma psicóloga que falou de uma pesquisa em que as mulheres priorizavam alguém que as fizesse rir, antes de priorizar a beleza.

Sim, é isso! Eu gosto de quem me faz rir! Sempre! Não estou falando de um cara bobo e que só conte piada. Mas aquele que está sempre de bem com a vida, aquele que tem os comentários certos, nas horas certas e que te faz rir até quando não está por perto. Sabem como é isso? Já tiveram o prazer de conhecer uma pessoa assim? Se a resposta foi sim, espero que tenham investido e sabido dar valor à essa pessoa.

Claro que só isso não basta. Na verdade, nem as qualidades e defeitos bastam para se investir numa pessoa. A psicóloga falou no programa uma coisa certa: Relação é uma troca mútua. E se você se dá muito mais na relação do que o outro, acho que está na hora de repensar bem se é isso mesmo que vale a pena.

E eu queria saber de vocês: O que fazem vocês investirem numa pessoa e/ou num relacionamento?

Podem mandar as respostas nos comentários, no Facebook, SMS e no e-mail fernanda_carvalho@globo.com. Espero as respostas de vocês, ok?

E desejo que todos um dia encontrem alguém que os faça rir

Minha amiga veio me dizer que lendo o post de hoje lembrou da música do Jota Quest, “Só Hoje”. Achei fofo ela lembrar disso e por isso voltei aqui pra colocar o clipe dessa música para vocês:

Texto de hoje: Você reclama demais? (é o mesmo de ontem)

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Nada

O que fiz de bom por mim: Rindo, rindo e rindo

junho 26, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 2 comentários.

Dia #10 – Só comigo mesmo

Vou começar esse post com uma enquete super rápida: Mais alguém no mundo pega o metrô da linha errada e só se dá conta quando tá no meio da viagem? Ou é um problema meu? Faço isso direto. Sou tão distraída assim?

Ok, chegamos ao ponto que eu queria: Distração!

Gente, eu  faço coisas absurdar porque sou muito distraída. E se alguém tiver uma história melhor que essa que vou contar, por favor compartilhe, porém acho muuuito difícil.

Um sábado desses da vida eu tava chegando na faculdade muito atrasada para a aula, mas muito mesmo. Entrei correndo na sala. E afobada do jeito que sou, sentei e fui montando minha mesa (sim, eu monto minha mesa com meu estojo, meu caderno, meu celular e meu óculos) super correndo. Logo que eu entrei, achei a sala muito cheia, mas pensei que o povo tava empenhado na matéria. E quando olho para frente, na mesa do professor tinha um defunto enorme (digo defunto aqueles bonecos usados para aula de primeiros socorros). Eu fazia Engenharia na época, por que diabos teria um defunto na aula?

Sabe quando você tá sonhando, olha em volta e se dá conta de que tá nu? Me senti assim ao perceber que estava na aula errada. Eu estava numa aula de pós de Educação Física! Tive aquele mini AVC de leve. E peguei as minhas coisas para colocar na mochila. Só que nesse mesmo instante uma menina entrou na sala e se tocou de que também estava  na sala errada. Foi uma zoação geral, todo mundo gargalhando, gritando que era mais uma e tal. Eu que não ia levantar, cruzar a sala e dizer: “Desculpa, classe! Me enganei”.

Decidi ficar lá mesmo. Pelo menos até a poeira abaixar. Pois sim! Comecei a prestar atenção na aula (que não era minha).

E aí que o professor mandou: “Gosto de aula participativa! Você, você que chegou agora. Atrasada.” – Sim, minha gente! Ele estava falando comigo.

Com sangue borbulhando de tão quente, eu respondi: “Sim?”

Foi quando ele me fez uma pergunta, que não lembro agora, mas creio eu que seja ridícula para os profissionais da área, pois era a 1º de uma pós-graduação. E eu disse que não sabia responder. Mas ele insistiu: “Vamos lá, gente! Só aprende quem erra! Responde o que você acha que é, minha jovem”.

Nesse momento minha voz não saía mais direito: “Mas é que eu não acho que seja nada. Eu realmente não sei”.

Depois de insistir bastante que eu respondesse e eu me negando a responder, um aluno (acho que por pena de mim) respondeu à pergunta dele e o foco saiu de mim.

E a aula continuou ali…e eu também. Até que ele dividiu a turma em grupos e disse que o trabalho consistiria em medir a frequência cardíaca dos coleguinhas e o resto ele informaria depois. Não me lembro de terem ensinado isso na aula de Engenharia. Comecei a suar frio de novo.

O trabalho de grupo começou! O professor aproveitou para ir ao banheiro/beber água/fumar. Assim que percebi que ele tinha saído de sala, falei aos coleguinhas do grupo que infelizmente eu teria que ir e que na próxima aula pegaria com eles o resto da matéria.

Saí correndo e depois dessa, fui direto pra casa. Nem quis saber aonde era a minha verdadeira aula.

E essa situação, meus caros, é apenas 1/1000 das coisas absurdas que já aconteceram comigo. Na hora eu fico desesperada, mas depois eu acho muito engraçado e penso que “só comigo mesmo”.

Texto de hoje: Você reclama demais?

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Segunda-feira

O que fiz de bom por mim: Rindo de mim mesma

junho 25, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Dia #9 – Um domingo, um livro, um seriado e…um adeus?

Eu não costumo gostar muito de domingos, mas tô tentando achar algo mais prazeroso do que acordar às 14:30, ficar embaixo do edredom lendo livro e vendo Sex and The City (uma amiga me emprestou o box completo e desde então viciei, tô na 4 temporada) o dia todo. Se alguém souber de algo melhor que isso, me conte.

E eis que no meio da minha leitura comecei a trocar sms com uma amiga muito querida, mas que não vejo mais com tanta frequência. Ela disse que tinha uma novidade para me contar. A novidade era que ela e o noivo (a propósito, eu que sou o cupido dessa relação) irão morar em Campos porque ele foi transferido no trabalho. Ao mesmo tempo que fiquei feliz pelos dois, meu “sangue até parou de circular por alguns segundos”.

Por que é tão difícil se despedir das pessoas? Ok! A gente não se encontra muito hoje em dia, mas eu sempre soube que ela estava aqui pertinho de mim.

Ele vai em Agosto e ela vai um pouquinho depois. Tenho um tempo para digerir isso. Mas perguntei se na casa nova tinha um quarto pra mim e ela disse que claro que sim. O que me deixou mais tranquila, afinal, além de cupido eu também sou filha do casal. E eu vou tentar ir visitá-los sempre que eu puder. Até para garantir que eles não tenham usado o meu quarto como o “quartinho da bagunça”. Tô de olho, hein!

A inavitável pergunta se eles iriam casar foi feita, óbvio! Ela respondeu que por enquanto eles não têm dinheiro para o casório e que iriam apenas morar juntos.

Foi quando ela me disse que nunca tinha pensado em morar junto e que era engraçado porque sempre planejou a ordem natural das coisas: noivar, casar, morar junto e ter filhos. Eu respondi que as coisas nem sempre saem do jeito que a planeja a vida toda e lembrei do que a Carrie disse em um dos episódios de Sex and The City que vi hoje: “Vida é aquilo que acontece enquanto você faz planos”.

Por mais que os planos sejam inevitáveis, você nunca sabe o que vai acontecer amanhã. Pode ser até que aquele plano que você fez há alguns anos, hoje seja viável de cumprir, mas você nem tenha mais tanta vontade. Não tenha mais nada a ver com o que se passa na sua vida agora.

Nos exercícios diários que eu tenho feito, o de viver um dia de cada vez está incluso. Não é uma tarefa nada fácil, sempre me pego pensando no amanhã. Mas tenho sido disciplinada e quando me dou conta que estou fazendo planos absurdos, tento trocar o nome de “planos” para “desejos”. Que não estou planejando aquilo, mas desejaria muito que isso acontecesse. E se for pra acontecer, se for pra ser meu, vai ser!

Agora, se me permitem, eu tenho um box de Sex and The City me esperando.

Texto de hoje: O destino de cada um

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Uma possível despedida de uma amiga que amo muito

O que fiz de bom por mim: Curtindo meu domingo de preguiça na cama

junho 24, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #8 – A relação Pai x Maroon 5

Talvez a maioria de vocês aqui não saibam, porém, quando me refiro ao meu pai aqui, me refiro ao meu padrasto (não gosto dessa palavra). Aquele que com 26 anos (a idade que eu tenho hoje) conheceu a minha mãe (6 anos mais velha que ele) e depois de 3 meses casou com ela….e com a sua filha de quase 5 anos, eu! E faço questão de contar que ele não é meu pai biológico, porque ele não tinha a menor obrigação de me “adotar”, amar, cuidar, etc. Mas fez isso com o maior prazer e ainda faz. Me apresenta para todo mundo como filha dele e até ciúmes dos meus namorados ele tem. Mas é como um amigo meu diz: “Pai é aquele que compra o danoninho”.

O meu pai biológio? Sim, ele é vivo e mora no mesmo bairro que eu, porém não nos vemos nunca e nos falamos apenas no meu aniversário (quando ele não manda um e-mail dando parabéns). Então qual o problema dele? Nenhum! É que cada homem tem o seu tempo para que a ficha caia de que “agora” ele é pai e 26 anos não foram suficientes para que a ficha dele caísse. Eu sei que um dia a ficha dele vai cair e ele vai se arrepender de ter passado esse tempo todo me tratando como se eu fosse filha de uma amiga dele.

Entenda, ele nunca me tratou mal. Mas também nunca soube como me tratar como filha. Não nos odiamos, apenas somos pessoas estranhas um para o outro. Isso já me incomodou muito, quando eu era criança, talvez. Mas a última vez que eu chorei por ele foi quando  não foi na minha festinha de 7 anos (eu acho que era essa a idade). E hoje eu conto isso à vocês de uma forma super natural, pois a figura paterna nunca me faltou. Meu ‘paidrasto’ sempre esteve presente, inclusive nas festinhas de dia dos pais da escola, que por algumas vezes contei com a presença de 2 pais e nunca soube como agir com o outro que estava fazendo figuração ali.

Tenho a impressão que todas as mulheres que meu pai biológico namorava, insistiam para que ele se aproximasse de mim. Inclusive, tenho uma boa relação com todas elas até hoje e uma delas eu falo que ela também é minha mãe e ela diz que também sou filha dela, apesar de não termos mais tanto contato como antes.

E há uns 8/7 anos, numa dessas tentativas frutradas de nos aproximar, logo que ele começou a namorar a atual esposa dele, ele chamou à mim e o meu namorado na época para viajarmos para a casa dele de Saquarema.  E foi aí que fui apresentada ao Maroon 5. Meu pai biológico levou um cd deles, ele era fã. E foi paixão à primeira vista. Desde então viciei e hoje sou apaixonada por Maroon 5.

Ano passado cheguei até a ir no Rock in Rio justamente para ver o show deles, mas eu tava muito morta, porque no dia anterior tinha ido também ao Rock in Rio e simplesmente fiquei no meu limite e tive que ir embora antes mesmo do show começar 😦 Fiquei super frustrada, mas uma das melhores notícias que eu recebi esse ano é que teria show do Maroon 5  no Rio no segundo semestre. Acompanhei ansiosamente o anúncio da data e depois o início das vendas. Começou a vender ontem.

Ontem mesmo eu comprei com mais duas amigas (estamos em estado de choque ainda). E só depois de ter comprado os ingressos que fui prestar atenção na data: 25/08. Justamente no dia do aniversário do meu pai biológico. E foi aí que eu me lembrei que, por coincidência, ele que me apresentou à banda. Talvez ele até vá no show, não sei e provavelmente nem vou ficar sabendo. Mas vai ser um puta presentão para quem é fã, hein?!

Hoje preciso agradecer ao meu pai biológico por ter me mostrado, pelo menos, uma coisa boa que levo comigo por muito tempo. E no dia do show vai ser impossível não lembrar dele.

Texto de hoje: 5 atitudes contra a ansiedade

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Passei um pouquinho mal logo de manhã cedo, o que me fez acordar às 7h de um sábado

O que fiz de bom por mim: Por enquanto nada. O sábado acabou de começar e ainda vai rolar muita coisa. Se conseguir, venho contar a parte 2 do dia 

junho 23, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Dia #7 – Já bebeu sua água da paz hoje?

Oba! Chegamos a 1 semaninha de blog! Que delícia! Como tô amando esse retorno que vocês estão me dando! E querendo falar comigo, não esqueçam que meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com. Vou adorar recebeu seu e-mail. 😉

Bom, ontem na volta do trabalho estava no carro conversando com a minha amiga que pretendo procurar uma terapia porque não tenho conseguido controlar meu stress, tenho sido muito pouco paciente e compreensiva com as pessoas. E, na maioria das vezes, acabo sendo grossa sem querer.

O ponto é que o que eu falo para a pessoa é certo, meu raciocínio está corretíssimo, porém o jeito que eu falo não é o correto e por esse motivo perco a razão e a certa fica a outra pessoa. Mesmo que eu me arrependa depois, é sempre mais forte que eu. E depois eu fico pensando que eu não deveria ter falado assim, nem feito uma tempestade num copo d’água e que, de repente, uma conversa na boa resolveria fácil a questão.

Sendo que isso tá me atrapalhando tanto pessoalmente como profissionalmente. Algumas pessoas não entendem esse meu jeito e acabam me olhando torto por aí, me achando a vilã da história. Sendo que isso não condiz com quem eu sou, com a minha personalidade. Mas ao mesmo tempo, eu disse à ela que eu não sabia como fazer o contrário. Não conseguia simplesmente ficar calada,  pensar uma coisa e não responder. Principalmente, nos momentos de raiva.

E aí que depois do trabalho, nós fomos em um outro centro espírita. E como eu nunca consigo ficar em silêncio antes do culto começar, minha amiga mandou eu ler um texto do Chico Xavier. O texto resumidamente fala sobre a água da paz que ajuda nesses casos de impulsividade que você tem vontade de falar o que te dá na telha. A água da paz pode ser aquela mesmo que sai do seu filtro. Nesses momentos de raiva, você coloca a água na boca e a mantém ali até que a vontade de falar passe.

Eu simplesmente adorei esse texto, achei que tinha tudo a ver comigo e decidi que vou sempre andar com uma águinha da paz por perto.

Mas pensando bem, tem muita gente precisando de uma água da paz por aí, não é mesmo?

Texto de hoje: Água da Paz

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Nada

O que fiz de bom por mim: Bebi um gole de água da paz

junho 22, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. Deixe um comentário.

Dia #6 – Parte 2 – Aonde está seu melhor amigo? O meu tá pelo mundo

Estava vendo as estatísticas do blog e reparei que além das visitas do Brasil, o blog teve 4 visitas da Itália. Fiquei super feliz, mais ainda por lembrar que essas visitas são de uma amiga que mesmo de longe sempre está muito perto. Todo mundo tem uma melhor amiga, né? Pois é, mas a minha trabalha embarcada num navio. 😦 Morro de saudade, mas acredito que esse cantinho vai servir pra fazer a gente se sentir mais próxima uma da outra. Não esqueço de uma frase que ouvi uma vez na novela “Um Anjo Caiu do Céu” (quem lembra dessa novela? Eu amava): “Para estar junto, não precisa estar perto e sim do lado de dentro”.

Essa minha amiga, a Rafaela, vulgo “best”, quando está no navio não tem acesso à internet, mas sempre que aportar em algum lugar ela disse que vai correr pra ler todas as atualizações de uma vez só. Tem amiga mais amada que essa? Aposto que não! (Ei, amigas, nada de ciúmes, hein!)

Até quando ela descobriu que ia começar a trabalhar nesse ramo, chutando uns 4 anos atrás, foi uma situação bem engraçada. Eu estava no shopping e ela me ligou aos prantos, dizendo que estava com medo de largar tudo pra trás, que era um risco e que ia ficar com saudade de todo mundo. Eu, como uma boa melhor amiga, dei a maior força, disse pra ela se acalmar porque era uma puta oportunidade, ela ia conhecer o mundo todo e ia ser incrível. Pronto! Trabalho completo! Amiga parou de chorar! Ufa!

Mas até a melhor das melhores amigas, precisa de uma melhor amiga também, correto? Me fiz entender? Cheguei em casa e liguei para ela chorando de soluçar (sim, eu choro que nem a Chiquinha quando tô desesperada, ninguém entende nada) falando que eu ia morrer de saudade e nem sabia como ia me virar sozinha aqui (nós nunca tínhamos ficado 1 semana sem se ver, sempre moramos perto e sempre fizemos TUDO juntas). Ela, que tinha dormido de tanto que tinha chorado, me respondeu que eu ficasse bem, ficasse calma, que ela me traria uma caneca. OI? UMA CANECA? Então é isso que vale nossa amizade? Chorei mais ainda, mas dessa vez de ódio!

A Rafa vem 1x ao ano pro Brasil e fica aqui, no máximo por 3 meses. A saudade que eu sinto dela é uma coisa descomunal. E não, ainda não aprendi a me despedir dela. Pelo contrário, é cada vez mais díficil dizer tchau. Mês passado ela foi embora e eu nem disse tchau direito, de tanta dor que eu tava por dentro. Morro de inveja de quem tem seu melhor amigo pertinho de si. Aproveitem muito eles.

Rafa, esse é pra você. Volta logo. Saudades. Beijos!

junho 21, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 6 comentários.

Dia #6 – Minha mãe tá no Facebook…o meu pai também

Antes de começar a escrever sobre o dia de hoje, queria agradecer à todos que têm comentado aqui, vindo falar comigo por sms, Gtalk, Facebook, etc. A opinião de vocês sobre esse cantinho é muito importante pra mim.

Inclusive, fiquei muito feliz que um amigo muito querido aderiu à minha sugestão do filme “Sim, Sr” que eu dei aqui. E, segundo ele, se amarrou no filme. Então fica a dica, hein!

E quem quiser falar comigo, fique à vontade para dar dicas, sugestões, reclamações ou até mesmo contar casos que tenham acontecido com vocês. Meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com. Fico no aguardo do recado de vocês.

Bom, hoje eu queria falar para vocês dos meus pais modernos. Melhor dizendo, dos meus pais tentando ser modernos.

Minha amiga disse que deveria ser proíbido que mães tivessem Facebook. Nossa, eu discordo muito! Eu me divirto com meus mais tentando ser tecnológicos.

Eu tenho um amigo que mora em BH e quando ele vem aqui no Rio, todo lugar que ele vai, ele me marca no Facebook. Uma maneira dele dizer que gostaria de estar comigo nesse lugar. Pois bem, num dia à tarde, em que eu estava no trabalho, ele me marcou na praia de Copacabana (quem dera). Minha mãe não perdoou e comentou no status dele (ela nem conhece o sujeito): “FERNANDA, POSSO SABER O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AÍ A ESTA HORA??????”. E aí? Até explicar que nariz de porco não é tomada…

Meu pai também é muito bom no Facebook. Ele essa semana veio falar comigo no bate-papo do Facebook. Eu mandei pra ele um “huahauahuahaua” e ele, meio confuso, foi perguntar pro meu irmão que “porra” era essa que eu tava latindo pra ele.

Era dia de pelada

Continuando no meu pai, outro dia ele me viu e disse “E aí, piriguete”. Eu perguntei se ele sabia o que queria dizer piriguete, ele disse que não, mas que achava a palavra engraçada. Aconselhei à ele não chamar as pessoas de piriguete, principalmente minha mãe, né?

Ai, apresentaram para a minha mãe o Whatsapp e o BBM. Senhor, por queeeee, meu Deus?

Eu tenho o costume de deixar o celular no silencioso (só acendendo a luz, sem vibrar, nem nada). Um dia peguei no sono e acordei e tinham 12 ligações perdidas da minha mãe (sem exagero, eram 12. Sente o meu desespero?). Não satisfeita, ela mandou sms, e-mail, whatsapp (para meus dois celulares), BBM e inbox. Tenho uma testemunha que não me deixa mentir e nem aumentar o fato. Enfim, liguei pra ela e disse que ela podia liberar os bombeiros, porque eu estava viva, eu só tinha cochilado.

Ok, é um exagero, mas qual mãe não é exagerada? Será que eu vou ser exagerada quando for mãe? Eu espero que eu não seja, mas eu dúvido que isso não aconteça.

Enfim, mesmo tendo pessoas que odeiam os pais conectados e moderninhos, eu AMO! Me divirto horrores e quero mais que eles divirtam também. Essas são só algumas histórias de muitas que tenho minhas e dos meus amigos. Você tem alguma história dessa?

Preciso compartilhar com vocês o comentário do Rapha,  porque essa história é muito boa também:

“…

Eu e Nanda de vez em quando, debatendo os assuntos da vida, dinheiro, profissão etc, eu falo “aaah, qq coisa vou ser garoto de programa!!” rs.

Um dia a Nanda veio com um papo de que ia “montar uma agência” e que me ofereceria uma vaga… rimos e tal, td bem…
Depois eu comentei algo na minha timeline e a Nanda veio com um “Ninguém mandou vc não aceitar a minha oferta de emprego!”

O que aconteceu!?!?
Minha mãe leu e veio “Garoto, vc tá recusando emprego? A menina disse q te ofereceu emprego e q vc recusou!”
Olha, quase rolei no chão de tanto rir!! Até eu conseguir ter fôlego para explicar tudo, ela ficou olhando p minha cara sem entender nada…
Aí eu falei “porra, é brincadeira, era p ser garoto de programa numa agência q ela quer montar!!”
Minha mãe “aaaaah, tá…”

Sério, definitivamente, eles não podem ter facebook!!!!!!!!!!!!!!
hauhauahuahauhauahuahauahu

…”

Texto de hoje: Reconhecer os erros é uma virtude 

Autoestima de hoje: Média

O que me detonou: Me tocar que o problema pode estar em mim, não nos outros

O que fiz de bom por mim: Tentando não ser orgulhosa e reconhecer esse problema.

junho 21, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 9 comentários.

Dia #5 – Te dou um Toddynho

Ontem foi um dia daqueles que deitei, desmaiei completamente e só acordei no dia seguinte. Nem lembro o que eu sonhei. Nossa, eu tava cansada demais. Sabe quando você fica cansada emocionalmente? Acho que é pior que o cansaço físico. E é o que dizem por aí: Nada como um dia após o outro, com uma noite no meio. Lavou tá nova.

Quando cheguei no trabalho, cheguei empolgada contando que uns policiais tinham parado meu carro para uma comitiva do Rio+20 passar. E que eu fiquei olhando, procurando o Obama. Dá licença? Sou fã do Obama! Ok, eu sei que ele não veio, mas vai que…

Enfim, não era isso que eu queria contar. É que, para a minha surpresa, as meninas trouxeram coisinhas para tomarmos café juntas aqui na empresa. Tinha pão, requeijão e adivinha: TODDYNHO! Nossa, nem acreditei! Eu fiquei tão feliz, tão feliz, mas tão feliz que quem não soubesse o que tava acontecendo podia jurar que eu ganhei algum bilhete premiado naquele achocolatado tão pequenininho.

Mas eu sou assim mesmo. Pequenas coisas me alegram, me fazem esquecer de tudo de ruim, ganho o dia por muito pouco.

Pela “boca popular” isso se chama “alegria de pobre”, porque se diverte com qualquer coisa. Daí, por um acaso vi uma frase hoje que lembrei disso: “Não eduque seu filho para ser rico, eduque para ser feliz. Assim, quando ele crescer, saberá o valor das coisas, não o preço.”

Desde então, fiquei pensando: Do que mesmo as pessoas precisam para ser felizes? Por que está cada vez mais difícil ser feliz? E por que umas precisam de tanto enquanto outras precisam de muito pouco? Não sei, talvez eu nunca saiba essas respostas, mas seria tão bom que todos fossem “pobres” de vez em quando.

Texto de hoje: Janelas da vida 

Autoestima de hoje: Alta

O que me detonou: Tive que me despedir de uma amiga

O que fiz de bom por mim: Tomei Toddynho

junho 20, 2012. Tags: , , , , , . Uncategorized. 4 comentários.

Próxima Página »